quinta-feira, 3 de maio de 2012

JUIZADO DO TORCEDOR ATENDE UM UM CASO NO PRIMEIRO DIA DE ATIVIDADE NO CEARÁ.



Caso foi de desacato a autoridade e considerado 'leve' pela juíza de plantão.
Pela 1ª vez um juizado atuou no interior de um estádio de futebol no Ceará.

D
Comente agora
O Juizado do Torcedor foi acionado uma única vez durante o jogo na noite de quarta-feira (2) entre Fortaleza e Grêmio, pela Copa do Brasil. Na ocasião, o time gaúcho venceu por 2 a 0. O jogo foi a primeira vez em que um juiz plantonista cumpriu serviços judiciais no interior de um estádio no Ceará.
Segundo a juíza Maria José Bentes, que esteve de plantão no Estádio Presidente Vargas, a única ocorrência registrada foi de desacato a um policial militar, infração considerada "leve" pela juíza. De acordo com a juíza, "por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo", foi feito um acordo entre o infrator e o promotor de Justiça para aplicação imediata de uma pena alternativa, sem prisão, evitando a instauração de processo.
Na ocasião, foi proposta a medida de três meses de prestação de serviços à comunidade, que foi aceita pelo acusado e homologada pela juíza.
O plantão judicário funcionou entre 16h30 às 23h30 da quarta-feira. A juíza explicou que, no caso de ocorrências registradas no estádio e no entorno, os policiais devem encaminhar os acusados até o delegado plantonista, para que seja feito o auto de infração e, depois o caso deverá seguir para o juizado.
O plantão judiciário em jogos decisivos no Ceará foi determinado pelo presidente do Tribunal de Justiça do Ceará, desembargador José Arísio Lopes da Costa, e instituído pelo diretor do Fórum Clóvis Beviláqua, juiz José Krentel Ferreira Filho, por meio de provimento já publicado no Diário da Justiça Eletrônico dessa quarta-feira (02).
 fonte G1 CE/camocim belo mar blog

LULA CRITICA MODO DE COMBATE DA CRISE MUNDIAL.



O ex-presidente, que discursa após tratar de um câncer, afirmou ser contra as medidas de austeridade dos desenvolvidos
Lula discursou nesta quinta-feira na sede do BNDES; ao lado dele, o governador do Rio, Sérgio Cabral / Ricardo Stuckert/Instituto LulaLula discursou nesta quinta-feira na sede do BNDES; ao lado dele, o governador do Rio, Sérgio CabralRicardo Stuckert/Instituto Lula

 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou, nesta quinta-feira, as medidas de austeridade adotadas pelos países desenvolvidos para combater os efeitos da crise econômica. Lula participou de um seminário promovido pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) sobre cooperação entre Brasil e África.

Segundo Lula, essas medidas representam corte de investimentos públicos, diminuição de salários, demissões, redução dos benefícios de trabalhadores e aumento da idade mínima para aposentaria.

“Eles pedem austeridade aos povos, aos trabalhadores e aos governos dos países mais frágeis economicamente, mas, ao mesmo tempo, aprovam pacotes de recursos no sistema financeiro justamente nos setores responsáveis pela ciranda especulativa que gerou a crise desde 2008. Ou seja, punem as vítimas da crise e distribuem prêmios aos responsáveis por ela. Há algo de muito errado nesse caminho”, disse.

Lula citou como exemplo positivo de postura diante da crise um programa elaborado pelos países africanos para integrar o continente, intensificando o comércio entre as nações do continente, propondo medidas para aumentar os investimentos, o consumo interno e elevar empregos.

“A União Africana mostra a seriedade daqueles que, diante da crise, não se desesperam. O momento é de ousadia e não de passividade. A hora é de união e não de divisão. O tempo é de solidariedade e não de opressão dos mais fortes sobre os mais fracos”, disse.

Lula discursou pela primeira vez em sete meses, desde que iniciou o tratamento de combate a um câncer na laringe. Ele chegou à sede do banco usando uma bengala e chegou a pedir compreensão da plateia, formada por empresários e autoridades brasileiras e de países africanos, porque teria que falar de forma lenta.

“Faz sete meses que não falo. Espero que não tenha desaprendido a falar”, desculpou-se o ex-presidente, que falou por cerca de 20 minutos.
 fonte bandnoticias/camocim belo mar blog

SECA:PREFEITURA CANCELA SHOW DE ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO EM CANSANÇÃO.



Durante reunião com membros da organização dos Festejos de Senhora Santana 2012,o Prefeito Ranulfo Gomes ,que já administra o município com estado de emergência  por conta da falta de chuvas , se mostrou mais uma vez muito preocupado com o longo período de estiagem que assola o Município de Cansanção e toda região, e seguindo as recomendações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) onde fica bem claro que as cidades atingidas pela seca devem adotar  uma rigorosa  contenção de gastos, decidiu optar pelo cancelamento contratual da dupla sertaneja  ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO, os mesmos como todos já sabem, estavam contratados para os Festejos de Senhora Santana 2012, mas diante da realidade vivida pelo povo do município o prefeito diz  “ o mais importante é prestar assistência aos moradores que vêm sofrendo  com a seca ,principalmente no interior do município,onde a situação é preocupante ” .
Durante a reunião, o prefeito colocou a questão de forma democrática, e disse que embora o desejo fosse  permanecer com a contratação e trazer a dupla pra Cansanção , “a seca falou mais alto”, e o mesmo  foi obrigado a fazer o cancelamento  do contrato, e citou novamente o posicionamento tomado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) em relação aos municípios que decretaram Estado de Emergência e pensam em fazer festa. Na reunião foram citadas as mais de 200 (duzentas) cidades em estado de emergência só na Bahia, algumas delas como Coité, Tucano e outras cancelaram suas programações  de forma total, o que ainda não é o caso de Cansanção.
O Prefeito citou a questão do racionamento de água  vivido na cidade e o baixo nível dos reservatórios de água da região, e  disse com tom de tristeza que as dificuldades enfrentadas no momento podem  se ampliar ainda mais caso não venha a chover nos próximos dias.
“Isso não quer dizer que não haverá festa na praça, até então a festa continua , apenas a dupla Zezé & Luciano não se apresentará no evento “   Diz Ranulfo Gomes.
A última vez que o município sofreu uma seca desse porte foi a mais ou menos 35 anos.
Cansanção-BA  01 de maio de 2012,

Matéria enviada por:  Alan Passos de Andrade/postada por,camocim belo mar blog

DECISÃO DO STF NÃO ENCERRA CLIMA DE TENSÃO NA BAHIA.



A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de tornar nulos os títulos de propriedade de terras de 186 fazendas do sul da Bahia, expedidos pelo governo do Estado, e reconhecer a área, de 54,1 mil hectares, como Reserva Indígena Caramuru-Catarina Paraguassu, não encerrou o clima de tensão presente desde o início do ano – quando os integrantes da aldeia pataxó hã-hã-hãe passaram a invadir as propriedades da região.
.
Apesar do clima de festa entre os indígenas, que foram surpreendidos na quarta-feira pela notícia do julgamento da questão – que tramitava desde 1982 -, uma força-tarefa formada pela Polícia Federal, pela Secretaria de Segurança Pública e por agentes da Força Nacional de Segurança continua monitorando a área, que abrange os municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia. Cento e trinta homens bloqueiam acessos vicinais às fazendas para impedir tanto eventuais conflitos quanto transporte de armas pela região.
.
A principal preocupação reside na insegurança dos fazendeiros, já que a decisão do STF não determinou prazos para desocupação, nem como será feita a retirada das posses dos antigos proprietários das terras, alguns com mais de 40 anos nas propriedades, de suas fazendas. Além disso, o STF não deliberou se os produtores rurais terão direito a indenizações.
.
Para a diretora do Sindicato dos Produtores Rurais de Pau Brasil, Cleile Marta Aguiar, a decisão do STJ alimenta a insegurança jurídica no País – e pode desencadear diversos outros processos similares. “O Supremo deu aval às situações de violência que os índios promoveram na região”, afirma. Desde o início do ano, os pataxós haviam invadido 68 fazendas da área.
.
O coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) na região, Wilson de Souza, porém, acredita que não há motivo para revolta dos fazendeiros. “Eles não perdem nada, porque a terra nunca foi deles e eles ainda vão ser ressarcidos pelas benfeitorias”, avalia. As informações são do A Tarde./fonte camocim belo mar blog

PAPAGAIO PERDIDO 'REVELA' ENDEREÇO À POLÍCIA.



Foto: AP
Papagaio perdido foi parar em hotel
Um papagaio de estimação perdido foi devolvido com segurança a seu proprietário no Japão depois de 'dizer' à polícia o seu endereço residencial.
A dona do pássaro, uma mulher de 64 anos, disse que ensinou o endereço para o seu animal de estimação depois que comprou a ave, há dois anos.
Segundo a polícia de Tóquio, ela havia perdido um outro papagaio anteriormente e queria garantir que isso não ocorresse de novo.
O pássaro, um macho, foi entregue às autoridades locais no domingo, e levou dois dias para 'contar' à polícia o seu endereço.
O papagaio tinha fugido de casa, no oeste de Tóquio, no domingo.
O animal foi capturado em um hotel próximo, onde foi empoleirar-se no ombro de um hóspede.fonte bbc brasil/camocim belo mar blog.

COM ESTIAGEM NO CEARÁ, PRODUTORES VENDEM OS REBANHO.



Animais são vendidos por preços mais baixos para outros estados.
Uma das piores situações é no município de Independência.


Comente agora
Os animais no interior do Ceará sofrem com a falta de pasto e água, consequência da estiagem registrada neste ano. Os criadores passaram a vender os rebanhos com preço mais baixos que o normais para pecuaristas de outros estados do Nordeste.
João Renan Pedrosa teve que se desfazer do rebanho que produzia leite para não perdê-lo. Cada vaca foi vendida por R$ 1.000. Segundo Pedrosa, o animal vale R$ 2.500. “Nós nos criamos criando gado, né? Depois de uma dessa, só tristeza no coração”, lamenta Pedrosa. As vacas foram vendidas para Giovane Lacerda que tem clientes no Piauí e no Maranhão.
Segundo o comprador, o efeito da estiagem vai fazer subir o preço da carne nos próximos meses. “O nosso rebanho aqui (Ceará) vai diminuir uns 80%. Esse gado seria engordado neste inverno e a gente abastecia o mercado o ano inteiro”, afirma.
Uma das poucas plantas que resistem às condições do sertão, a xique-xique, vira alimento para os animais. No assentamento Juazeiro, em Independência, para tirar os espinhos e saciar o rebanho, os criadores queimam a planta. “É difícil, mas é o jeito a gente batalhar para poder sustentar os bichinhos. Vai pelejando, vendendo uns para ir se alimentando também e, assim vai continuando a vida, né?”, diz vaqueiro Antônio Alves Portela.Uma das piores situações do gado é a de Independência, no Sertão dos Inhamuns. Animais mortos viram alimentos para urubus, quando não, a fome revela os ossos sob a pele dos animais. Sem pasto, os animais são alimentados com ração, que é pouca. “ O rebanho está todo magro, capaz de não suportar mesmo. Muito triste um negócio desse, demais mesmo”, conta o auxiliar Francisco Lima.
Alguns criadores desistiram e resolveram vender tudo. O preço da ração subiu muito e fica difícil alimentar os animais.  A saca da torta de algodão, um dos principais componentes da ração, passou de R$ 25 para R$ 45 de junho de 2011 até agora.
"Seca verde"
No primeiro trimestre de 2012, o Ceará registra uma queda de 50% no volume de chuva em relação à média histórica do estado, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).Por conta das chuvas irregulares, ocorre no Ceará o fenômeno conhecido como "seca verde", quando chove o suficiente para deixar a vegetação verde mas insuficiente para render uma boa safra.fonte G1 CE/camocim belo mar blog