quarta-feira, 26 de março de 2014

SURTO DE EBOLA ASSUSTA BRASILEIROS QUE VIVEM NA GUINÉ.



Estoque de remédios dos Médicos Sem Fronteiras para pacientes com suspeita de ebola na Guiné (AFP)
Estoque de medicamentos do MSF na Guiné; é o primeiro surto de ebola no país
O surto de ebola registrado na Guiné, país na costa oeste da África, está assustando a pequena comunidade de 70 brasileiros que mora no país.
Até esta quarta-feira, ao menos 63 pessoas já haviam morrido no país supostamente em decorrência da doença. Segundo a agência de notícias Reuters, 13 dos casos foram confirmados como sendo de ebola.

Causa febre forte, dores de cabeça e musculares, conjuntivite e debilidade; na fase mais aguda, provoca vômitos, diarreia e hemorragias. A transmissão ocorre por vias respiratórias ou por contato com fluidos corporais das pessoas infectadas.A doença, uma espécie de febre hemorrágica, não tem cura e mata uma pessoa em questão de dias, dependendo da variação do vírus.
Ouvidos pela reportagem da BBC Brasil, brasileiros relataram estar seguindo as recomendações das autoridades guineanas para evitar infecções, mas admitiram o temor em relação à doença.

GOVERNO DO CEARÁ FIRMA CONVÊNIO PARA CONSTRUÇÃO DE 22.721 CASAS.

 

Convênio firmado com a Caixa Econômica foi de R$ 120,4 milhões.
Outras 696 casas foram entregues em Pacatuba e Fortaleza;

Do G1 CE/CBM

O Governo do Estado do Ceará assinou, nesta quarta-feira (26), convênio de cerca de R$ 120,4 milhões com a Caixa Econômica Federal para a construção de 22.721 unidades habitacionais como parte do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. O recurso é uma contrapartida aos aproximadamente R$ 1,05 bilhão do Governo Federal. Dentro do Minha Casa Minha Vida II, o Ceará já conta com mais de 35 mil unidades contratadas.
Durante a solenidade, o Governador Cid Gomes e representantes da Caixa e de construtoras assinaram ordens de serviços para construção de 6.698 novas unidades habitacionais, distribuídas nos municípios de Crateús, Canindé, Crato, Maranguape, Maracanaú e Fortaleza. Além disso, será autorizada a retomada das obras de 3.776 unidades, em Caucaia, do MCMV I em que o Estado não era autorizado a entrar com aporte financeiro.

OS TEATROS QUE NÃO TEMOS.

CENA

Amanhã é comemorado o Dia Mundial do Teatro. Em Fortaleza, artistas amargam poucos palcos e teatros fechados


Teatro São José
Entre os espaços fechados está o Teatro São José, cujo restauro vem sendo prometido há quatro anos
A boa nova foi anunciada na última semana pela Secretaria da Cultura do Ceará: nessa quinta-feira, dia 27, quando é comemorado o Dia Mundial do Teatro, será reaberto ao público o Teatro Carlos Câmara. A notícia, entretanto, vem com atraso de dois anos, tempo em que o teatro permaneceu fechado ao público ainda que já restaurado e reinaugurado.
Talvez por isso, a notícia é encarada, ainda, com certo descrédito e vem envolta em um contexto ainda menos alentador para a classe teatral. Ainda que desejassem comemorar o dia dedicado ao teatro colocando em uma grande mostra de suas criações, as inúmeras companhias atuantes na cena de Fortaleza esbarrariam em uma questão de primeira ordem (e um problema primário), quando se fala em apresentação teatral. Faltam teatros.
"O problema não se limita ao Teatro Carlos Câmara estar ou não fechado. É um problema da Cidade", argumenta Tiago Arrais, diretor teatral e coordenador do curso de licenciatura em teatro do IFCE.
"Enquanto Salvador tem 37 teatros, Recife, 28, em Fortaleza nós temos apenas sete teatros, propriamente ditos, funcionando, com constância na programação", reforça Carri Costa, ator e diretor da Companhia Cearense de Molecagem.
Carri é proprietário do Teatro da Praia, um dos tradicionais palcos de Fortaleza que, em setembro do ano passado, fechou as portas.
Para que se tenha uma dimensão da gravidade do problema, considere-se que entre os sete palcos teatrais em funcionamento em Fortaleza (contabilizados por Carri), estão o Theatro José de Alencar (que está em reforma e disponibiliza ao público e aos artistas apenas espaços anexos ao Palco Principal, que está fechado), o Teatro Antonieta Noronha (que tem capacidade para apenas 110 pessoas), além dos palcos do Sesc Emiliano Queiroz (Centro), Teatro Dragão do Mar (Praia de Iracema), Teatro da Caixa Cultural (Praia de Iracema), Teatro Arena Aldeota (Aldeota) e Teatro do Via Sul (Sapiranga).

DE 1 A 3 DE ABRIL DE 2014: MUTIRÃO DE CONFISSÕES ABRE ATIVIDADES REFERENTE A SEMANA SANTA EM CAMOCIM CEARÁ.


Em Camocim, as atividades religiosas referentes à Semana Santa se iniciarão com mutirão de confissões na Igreja Matriz Bom Jesus dos Navegantes, de 1 a 3  de abril. 

Confira abaixo a programação completa.
Domingo de Ramos – dia 15.04.2014
08h – Bênção dos ramos – Igreja de São Pedro.
09h - Missa de Ramos na Matriz.
16h – Missa e Bênção dos Ramos – Igreja de São Francisco.
18h – Missa de Preceito na Matriz. 
19h – Missa de Preceito São Pedro.

Terça – Feira Santa – dia 15.04.2014
09h – Missa dos Santos Óleos –Tianguá.
18h – Missa na Matriz.
Quarta – Feira Santa – dia 16.04.2014
16h – Encontro Penitencial com idosos e enfermos – Igreja Matriz.
17h – Encontro Penitencial com Idosos e enfermos – Igreja de são Francisco.
17h – Via Sacra solene na Matriz.
18h – Missa na Matriz.

Quinta – Feira Santa – 17.04.2014
16h – Missa da Ceia do Senhor (lava – pés) Igreja Matriz.
16h – Missa da Ceia do Senhor (lava – pés) Igreja São Francisco.
18h – Transladação do Santíssimo Sacramento – Igreja Matriz.

FEZES E URINA DE CABRAS EM ESCOLA DA ZONA RURAL DE CAMOCIM-CE.




Trata-se do anexo Santa Luzia da Escola Frei Francisco Timóteo (Torta) na Zona Rural de Camocim, na comunidade conhecida por Cajazeiras e Marianos. Segundo informações de moradores da vizinhança, a escola está em pleno funcionamento nos turnos manhã e tarde, mas apresenta um cenário de abandono e precariedade em suas dependências e, para completar esta impressão, ontem, dia 25, a unidade escolar estava com aparências de um curral de cabras devido a grande quantidade de fezes e urina de animais espalhadas  por todos os  arredores, exalando um mal cheiro insuportável, principalmente no alpendre. A parte de trás está servindo como um a especie depósito de carteiras quebradas com mato e lixo já quase encostando nas paredes.