sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Segundo agência, missão investiga denúncia de três jovens haitianos.
Agressão teria ocorrido em Fort Dimanche, no centro de Porto Príncipe.

Da EFE
A Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) anunciou nesta quinta-feira (15) que investiga uma denúncia de maus-tratos supostamente cometidos por membros das tropas brasileiras contra três jovens haitianos.
A força multinacional da ONU afirmou que usará todos os meios de imprensa a seu alcance 'para esclarecer os fatos o mais rapidamente possível' e lembrou sua política de 'tolerância zero' diante de atos de má conduta de seu contingente.
De acordo com a denúncia, que se tornou pública na quarta-feira durante uma entrevista coletiva da Rede Nacional de Defesa dos direitos Humanos (RNDDH), três jovens foram agredidos por um grupo de oito membros da equipe brasileira da missão da ONU.
Os fatos ocorreram em uma data não divulgada em Fort Dimanche, no centro de Porto Príncipe, onde os jovens haitianos teriam sido golpeados por militares com os quais mantiveram um conflito. Meios de imprensa haitianos publicaram nesta quinta-feira imagens nas quais podem ser percebidos sinais de ferimentos nos corpos dos autores da denúncia.
A RNDDH condenou 'os atos de agressão cometidos por soldados da Minustah, alguns dos quais foram já acusados de violação dos direitos de haitianos em várias cidades do país' segundo a porta-voz da organização, Marie Yolande Gilles, citada pelo site 'Haiti Press Network'.
Esta denúncia se soma à outra apresentada em setembro contra cinco marinheiros pertencentes ao contingente uruguaio da Minustah, por supostamente abusarem de um jovem que afirma ter sido estuprado e que reivindica US$ 5 milhões de indenização.
Os supostos abusos, investigados pelas autoridades uruguaias, aconteceram no fim de julho em Port Salut (sul do Haiti) e também tiveram imagens divulgadas pela Internet, onde foi publicado um vídeo gravado com telefone celular.
A RNDDH afirmou em um relatório divulgado em setembro, por conta da denúncia, que desde sua chegada ao Haiti em 2004, vários agentes da Minustah estiveram envolvidos 'em casos de estupro, roubo, assassinato e detenções ilegais e arbitrários' e citou uma dezena deles, inclusive o nome de 111 agentes pertencentes ao contingente de Sri Lanka, envolvidos em 2007 em um caso de abuso e exploração sexual de menores.fonte g1.com:postado por camocimmarazul@blogsport.com 

OSCAR NIEMEYER, FESTEJA 104 ANOS

Arquiteto concebeu mais de 600 projetos arquitetônicos em todo o mundo.
'Enquanto houver uma mulher perto, que aconteça o que acontecer!', disse.

France Presse
28 comentários
O arquiteto Oscar Niemeyer durante lançamento de seu novo livro no Rio (Foto: Henrique Porto/G1)O arquiteto Oscar Niemeyer (Foto: Henrique Porto/
G1)
Para festejar seus 104 anos nesta quinta-feira (15), o célebre arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer decidiu fazer o que mais gosta: trabalhar em seu ateliê de janelas amplas diante da praia de Copacabana.
O aniversário coincide com a saída do número 11 da revista "Nosso Caminho", uma publicação trimestral consagrada à arquitetura e às artes em geral, na qual presta homenagem ao poeta, cantor, compositor e pai da Bossa Nova, Vinícius de Moraes, que foi seu amigo próximo, em vida.
A foto da mesquita de Argel, atualmente em construção, um projeto saído da mesa de desenho de Niemeyer, ilustra a capa de "Nosso Caminho", que ele edita com sua esposa Vera Lucia, com quem se casou aos 98 anos.
Embora repita com frequência que "ter mais de 100 anos é uma merda", Niemeyer já recebeu um presente de aniversário: una escultura denominada "Laura", criação do caricaturista Lan e esculpida em bronze pelo artista Marcos André, informou nesta quarta-feira (14) o jornal "O Globo".
Mas Niemeyer também recebeu uma notícia ruim: o fechamento, nesta quinta-feira, do Complexo Cultural de Avilés (Espanha) inaugurado no ano passado.
A "praça aberta ao mundo" imaginada por Niemeyer fecha suas portas porque o governo de Astúrias acusa os administradores de gastos excessivos, segundo o jornal "Folha de S. Paulo".
Admirado pela força de sua criação e longevidade, Niemeyer vai todos os dias a seu ateliê, apesar dos problemas de saúde dos últimos anos: fraturou a pélvis e, no ano passado, foi hospitalizado várias vezes, inclusive por um câncer de cólon.
O arquiteto, um comunista de carteirinha, também encontra tempo para participar das reuniões da revista que criou para "falar com a juventude".
Da revista, escrita em português, espanhol e inglês, faz parte o caderno "Explicação necessária", onde Niemeyer escreve sobre o processo de criação de suas obras.
Sambódromo
Nascido no dia 15 de dezembro de 1907 no Rio de Janeiro, o arquiteto concebeu mais de 600 projetos arquitetônicos em todo o mundo. Ainda dirige vários, como a renovação do Sambódromo no Rio de Janeiro, adaptando-o aos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade.
Em agosto passado, Niemeyer, que revolucionou a arquitetura moderna com curvas sensuais inspiradas, segundo ele, "no corpo da mulher brasileira", disse à imprensa que ainda há coisas que gostaria de fazer, como um "belo projeto para Copacabana".
"Uma vez me perguntaram o que pensava da vida. Respondi: enquanto houver uma mulher perto, que aconteça o que acontecer!", brincou Niemeyer, também autor da letra do samba "Tranquilo com a vida", uma canção otimista sobre um morador de uma favela que tem a esperança de um futuro mais justo.fonte,g1:poetado por camocimmazul@blogsport.com