segunda-feira, 16 de julho de 2012

ICASA VENCE O ÁGIA DE MARABÁ E DORME NA LIDERANÇA DE SEU GRUPO.

Resultado deixa Verdão do Cariri bem posicionado na Série C. Águia cai para a 7ª colocação. Jogo é vencido de virada no Estádio Romeirão

                                           
 
De virada, o Icasa venceu o Águia de Marabá por 2 a 1, na tarde deste domingo, no Estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte, e se garantiu na liderança provisória do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro. O Verdão do Cariri só deixa a ponta da tabela se o Paysandu derrotar o Fortaleza, nesta segunda, no Mangueirão, em Belém. Caso não, o time cearense permanece em primeiro lugar até a próxima rodada. Já o Águia caiu para a sétima colocação com o resultado negativo. No entanto, a equipe fica a apenas um ponto de voltar ao G-4 de seu grupo na Terceirona.
No primeiro tempo, o Águia de Marabá começou surpreendendo o Verdão do Cariri. Com início disputado entre as duas equipes, foi o time paraense que saiu melhor na troca de bolas e abriu o placar. Após dois gols perdidos pelos donos da casa, com Bismark e Nena, Marabá fez 1 a 0 para a equipe visitante, aos 21 minutos.
Depois disso, o Icasa cresceu mais em campo. E continuou pressionando os paraenses. E a pressão surtiu. Pois em menos de cinco minutos, o Verdão conseguiu a virada. Aos 39 minutos, Rossini deixou tudo igual no Estádio Romeirão.
E não demorou muito para o Icasa virar a partida. Nena, que já havia perdido gol, acertou as redes do goleiro do Águia de Marabá e decretou o seu time à frente do placar. A partir daí, o Verdão administrou o restante de primeiro tempo na frente.
Na volta para a segunda etapa, a partida continuou bem movimentada, com chances para as duas equipes. O Icasa perdeu em posse de bola quando, aos 15 minutos, Carlinhos foi expulso, deixando a equipe cearense em desvantagem.
No restante do segundo tempo, os dois times pressionaram, mas não cnseguiram criar com objetividade. Sendo assim, o placar não foi mais alterado. E a partida terminou mesmo com o resultado da primeira etapa, que foi de vitória para o Icasa, por 2 a 1.
Na próxima rodada, o Verdão do Cariri joga fora de casa com o Luverdense. Já o Águia de Marabá recebe outro cearense, o Guarany de Sobral.fonte:g1 juazeiro do n.ce/camocim belo mar blog

CASAL USOU MATERIAL RECICLÁVEL NA FESTA E ECONOMIZAU R$30 MIL.CERIMÔNIA FOI REALIZADA ONDE O IBAMA DEIXA OS ANIMAIS CAPTERADOS.


Um casal de biólogos do Ceará se casou neste fim de semana no Centro de Educação Ambiental do Ibama, em meio a onças, macacos, araras e outros animais. O local, segundo o noivo, é "especial" para o casal, onde eles namoravam logo após se conhecerem.
"Esse local é muito especial, porque terminavam as aulas da faculdade e eu vinha me encontrar com ela. É um ambiente que tem a nossa cara e faz parte da nossa história", justifica o noivo Moacir Júnior.
 
No centro ficam animais apreendidos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Os animais levados ao centro sofrem maus-tratos ou são criados de forma ilegal. Lá, os bichos passam por um período de readaptação e depois retornam à natureza.
Além de namorarem no Centro de Educação Ambiental, os biólogos Moacir Júnior e Alessandra Carvalho estudavam juntos no período de faculdade e seguem estudando, já que eles fazem doutorado e pesquisam espécies presentes no lugar.
Material sustentável
Além do local considerado especial pelos noivos, a decoração da festa de casamento foi feita com materiais recicláveis, o que garantiu uma economia de quase R$ 30 mil, segundo Alessandra. "Nós gastamos R$ 15 mil. Com o material sustentável, mais R$ 300 no máximo", a previsão inicial para a festa era de R$ 45 mil.
O vestido da noiva, convites, decorações do local e até o buquê de rosas é feito de material reciclável na festa de Moacir e Alessandra. Marie Araújo, a decoradora da cerimônia, explica como fez o buquê, de borra de café: "o que usei aqui são filtros de café, palito de churrasco, arame de caderno e fui inventando. tem até uma tela de palha de coco e foi tingido com o próprio café. ficou um tom maravilhoso".fonte:g1 ce/camocim belo mar blog

IPAD NACIONAL NÃO TEM PREÇO MENOR.

 
Redução dos custos por conta dos benefícios fiscais não foi repassada ao consumidor brasileiro
De forma discreta, a Apple passou a comercializar no mês passado os primeiros tablets iPad fabricados no Brasil. No entanto, os tão aguardados dispositivos nacionais da marca - o iPad 2 e o Novo iPad - estão sendo vendidos pelo mesmo valor dos produtos importados que estavam nas lojas anteriormente no país.

O tablet da Apple já está sendo fabricado no Brasil desde abril, na unidade da Foxconn em Jundiaí (SP), e chegou a algumas lojas brasileiras em junho

O tablets nacionais da Apple são produzidos desde abril na fábrica, em Jundiaí (SP), da taiwanesa Foxconn - a mesma empresa responsável pela produção dos equipamentos da companhia norte-americana na China. Nos dois primeiros meses, a produção da Apple no Brasil foi destinada a países do Mercosul. Em junho, os aparelhos "made in Brazil" passaram a abastecer o mercado brasileiro. Eles já podem ser encontrados na loja da Apple na internet e em sites de grandes varejistas como Walmart e Americanas.com.

A fabricação de produtos da Apple no Brasil foi divulgada em abril de 2011, resultado da visita da presidente Dilma Rousseff à China. Na época, a previsão para o início da produção no Brasil era para novembro do mesmo ano. Como incentivo a empresas como a Foxconn que manifestaram interesse em montar fábrica no Brasil para a produção de tablets, o governo federal incluiu esses dispositivos em seu programa de isenção de impostos. O benefício fiscal reduz em cerca de 30% os custos de produção dos dispositivos. Com isso, a expectativa anunciada pelo governo era de que o iPad brasileiro chegaria às lojas com descontos entre 30% e 40% - o que não ocorreu agora que os planos da Foxconn e da Apple se tornaram realidade.

No site da Apple, o novo iPad brasileiro de 32GB, com conexão WiFi e 4G, é vendido por R$ 2.049. O modelo mais básico, com 16GB e Wi-Fi, custa R$ 1.549. Os preços são os idênticos aos valores que eram cobrados pelo produto importado em maio, quando passou a ser vendido oficialmente no país. Nos sites de outras redes de varejo nacionais, há modelos nacionais e importados disponíveis para venda e, nos dois casos, o valor também é o mesmo: R$ 2.049. A versão de segunda geração do tablet, o iPad 2, que também é já produzida no Brasil, continua à venda pelo mesmo valor definido pela empresa quando o seu sucessor chegou ao mercado.

A chegada do novo iPad ao mercado brasileiro trouxe em maio um novo patamar de preço para o iPad 2. O aparelho custa a partir de R$ 1.299 (valor da versão de 16GB com Wi-Fi). O produto na versão de 16GB com Wi-Fi e 3G custa R$ 1.599. Esses preços também não tiveram alteração por conta da fabricação local dos tablets.
fonte:DN Oline/camocim belo mar blog