segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

APÓS ADIAMENTO,DECRETO DE TOMBAMENTOS DEVE SER ASSINADO NESTA TERÇA-FEIRA PELO PREFEITURA.


A Farmácia Oswaldo Cruz é um dos nove bens que serão tomba





Depois de adiamentos, nesta terça-feira, 17, devem ser assinados decretos de tombamento definitivo de nove bens histórico-culturais de Fortaleza. AS indicações dos equipamentos foram feitas pelo Conselho Municipal de Patrimônio Histórico Cultural (Comphic). Hoje, Fortaleza tem 53 bens tombados pelo Município. 

Na lista dos patrimônios tombados em definitivo estão os prédios da Farmácia Oswaldo Cruz, do Sport Club Maguary, do Ideal Clube, do Náutico Atlético Clube, do Colégio Dorotéias, da Santa Casa de Misericórdia, do IMPARH, da Casa do Português, da Igreja de São Pedro dos Pescadores e a Pavimentação da Rua José Avelino.

Além disto, serão assinados os registros da Celebração da Festa de São Pedro dos Pescadores e de Lugar da Igreja de São Pedro e sua área de entorno, que, juntos, caracterizam o primeiro bem imaterial da capital cearense. Durante o evento, será lançado um vídeo-documentário sobre este marco para a cultura de Fortaleza.

PAC Cidades Históricas

No evento desta terça serão anunciados os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, previstos para as obras de restauração da Casa do Barão de Camocim, Casa da Fotografia e para o a elaboração do Mapeamento Cultural. 

O PAC Cidades Históricas abrange 173 municípios, de todos os estados da federação e prevê investimentos iniciais cerca de R$ 250 milhões por ano.
Redação O POVO Onlin
e

O BAIRRO QUE NASCEU DOS SÍTIOS.


Avenida Godofredo Maciel é uma das principais e mais antigas do bairro Maraponga

Maraponga



Dona Raimunda de Souza, 63 - mais conhecida como Santinha - tem o Parque Ecológico da Maraponga praticamente como o quintal de casa. Moradora do local desde quando nasceu, em 1950, ela habita uma das duas casas existentes na entrada do parque.

“A Maraponga é um pedaço do paraíso dentro de Fortaleza”, elogia. Quando questionada o porquê da afirmação, a explicação já está na ponta da língua. “Porque tudo é bom na Maraponga. A ventilação, o verde, tudo que você imaginar. Até o povo é bom”, diz.

O bairro mudou muito ao longo dessas seis décadas. “Aqui (no parque ecológico) era um sítio muito bonito”, lembra. Em 1945, o pai dela, Raimundo Barros, saiu da Jiboia (hoje região da Itaitinga) para cuidar do sítio. “Aqui o papai casou e construiu família. Essas árvores foram todas plantadas por ele. O que ele não plantou, foram os passarinhos que semearam”, conta dona Santinha.

A infância foi uma animação só, com muita brincadeira, banhos na lagoa e frutas de todos os sabores. “Aqui era uma riqueza. Tinha uma fábrica de fazer cajuína, vacaria e fazia até mel de abelha”. A movimentada avenida Godofredo Maciel era, naquela época, apenas uma estradinha de terra por onde passavam os viajantes. “Aqui na Maraponga só tinha sítios. A gente não sabia o que era o progresso”.

Dona Santinha desconhece a quem hoje pertence a terra onde vive. “Nunca tiraram a gente daqui. Já morreram meu pai, minha mãe, meu marido. Só falta eu agora”, conta. Hoje, ela se dedica a alimentar os gatos que são abandonados no parque. “A gente não quer ver morrer de fome e fica no maior sacrifício para comprar comida (para eles)”, comenta. Os filhos até que tentam convencê-la a sair do local, mas Santinha é taxativa: “enquanto eu não estiver caducando, vou ficar aqui”.

O aposentado José Silva Lemos, 84, relembra que, ao chegar no bairro, ao redor “só tinha mato”. Até hoje, há resquícios desse tempo, pois em frente a casa dele, na rua Suíça, ainda funciona uma vacaria. “Se eu pudesse, quando morresse me enterrava aqui”, fiz ele ao ser questionado se pensa em sair do bairro.

História semelhante ao do comerciante Wilcemar Bezerra, 58, que por duas vezes tentou voltar a morar no Interior. “Porque eu gosto daqui, já me acostumei”, revela. Ao todo, já são 40 anos morando no bairro. No início, o sítio da família abarcava todo o quarteirão onde mora. “Aqui não tinha nenhuma casa. Nem bicicleta passava nessa rua”, diz. E ele se queixa do crescimento do bairro, que começou “de uns dez anos pra cá”. “Acabaram as árvores. Só é muita quentura agora”, explica. Mesmo assim, continua apaixonado pelo bairro.

EM ALTA

DESENVOLVIMENTO
O bairro Maraponga experimenta um grande crescimento no mercado imobiliário. Em todo o bairro, é possível deparar-se com novas residências e edifícios sendo construídos.

EM BAIXA

CONSERVAÇÃO
Asfalto da avenida Godofredo Maciel está cheio de imperfeições e, em um trecho, a via foi fresada e o novo recapeamento não foi feito. Regional IV diz aguardar a conclusão de obras da Cagece. 

MARAPONGA

É a cara do meu bairro
Qual é a imagem que você acha a cara do seu bairro? Participe, envie sua foto para nós: opovonosbairros@opovo.com.br

Parque Ecológico da Lagoa da Maraponga. O parque é a principal beleza natural do bairro, com 31 hectares de área. O local é frequentado por coopistas e famílias, principalmente nos fins de semana. “De manhãzinha, você ver o azul da lagoa, o verde do mato e as garças voando. Dá vontade de não voltar mais para casa e ficar só olhando”, diz Francisca Raimunda de Souza.

A personagem
A dona de casa Francisca Silva, 59, faz exercícios diários no Parque Ecológico da Maraponga e é mais uma apaixonada pelo bairro. “Moro aqui desde 1985 e mudou muito. Tem mais violência e muita gente. Mas também tem supermercado, transporte, metrô. Tem muitos serviços por perto”, diz. Quando questionada se todo mundo agora quer ir morar na Maraponga, ela responde: “isso é verdade!”. Ela se queixa apenas da ausência de alguns serviços públicos, como creches e postos de saúde. 

RONDA
O Povo nos Bairros publica o telefone de contato dos policiais da Ronda do Quarteirão no bairro Maraponga
3457 1057, 8623 4000 e 190 

10 MIL

Habitantes
A Maraponga possui 10.155 moradores, segundo o Censo de 2010 do IBGE. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,572 

VILA PERY

PROBLEMAS NA RUA NEREU RAMOS
1. O leitor Joaquim Bezerra Soares reclama de problemas na rua Nereu Ramos. O primeiro está no viaduto sobre a linha do Metrofor. 

“Na descida do elevado sobre a estação do VLT da Vila Pery, abriu-se uma cratera encoberta por águas escuras que camufla um grande buraco, obrigando os veículos que estão mais à mão direita a desviarem dessa depressão. Os desavisados que não conhecem o trecho só percebem o buraco tardiamente e caem no mesmo ou procedem a manobras de alto risco”, relata.
 
Joaquim também critica o curto tempo no semáforo no cruzamento da rua Nereu Ramos com avenida Osório de Paiva, o que causa “constantes congestionamentos e invasão de pista pelos condutores mais apressados”.

RESPOSTA. O Metrofor informa que já foram solicitados os reparos no asfalto do viaduto, mas não deu prazo para executar o serviço. Já a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) informa que, depois de receber a reclamação, realizou ajustes no tempo do semáforo. 

MUCURIPE

MORADOR PEDE REINSTALAÇÃO DE TARTARUGAS EM VIA
2. O morador do bairro Meireles, Pedro Emiliano Sidrim, reclama que, há cinco meses, foram retiradas as tartarugas que existiam na avenida Rui Barbosa, esquina com rua Deputado Moreira da Rocha. 

Segundo ele, a Prefeitura fez o recapeamento na via e não colocou de volta a antiga sinalização. Na avaliação de Pedro, isso tem sido a causa de constantes acidentes no trecho.

RESPOSTA. A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania de Fortaleza (AMC) informa que os equipamentos não foram recolocados devido à resolução 336 de 24 de novembro de 2009, do Conselho Nacional de Trânsito (Contram), que proíbe a utilização de tachas e tachões, aplicados transversalmente à via pública, como sonorizadores ou dispositivos redutores de velocidade.

JÓQUEI CLUBE

MORADOR CRITICA NOME DE SHOPPING
3. O presidente da Associação dos moradores do Jóquei Clube, Edinaldo Duarte, critica a escolha do nome “North Shopping Parangaba” para o empreendimento que está sendo construído na antigo terreno do Jockey, não pertencendo aos limites do bairro da Parangaba. “Nós amamos o bairro e está todo mundo revoltado. O Jóquei Clube tem de ser valorizado”, reclama Edinaldo. fonte:o povo online/camocim belo mar blog

RESPOSTA. A assessoria do North Shopping Parangaba informa que a escolha do nome é uma homenagem a toda a região da Parangaba, onde o estabelecimento está inserido. “A Parangaba é um bairro tradicional que vem crescendo demográfica e economicamente”, afirma a assessoria, por meio de nota. Ainda segundo a assessoria do shopping, o empreendimento destina-se a atender aos moradores de toda a região, oferecendo produtos, serviços e lazer
.

FURACÕES NO ÁRTICO INFLUENCIAM CLIMA E CIRCULAÇÃO DA ÁGUA POLAR,DIZ ESTUDO.



Cientistas americanos e ingleses criaram modelo para prever fenômeno.
Resultados apontam condições mais frias na Europa e na América do Norte.

Cientistas americanos e britânicos relatam a primeira evidência conclusiva de que os furacões no Ártico, conhecidos como "baixas polares", exercem um papel importante sobre o clima e a circulação da água nesse oceano.
A descoberta foi possível graças à criação do primeiro modelo de alta resolução para estudar os efeitos climáticos causados por esse fenômeno. Os resultados dos pesquisadores da Universidade de Massachusetts em Amherst, nos EUA, e da Universidade de Anglia do Leste, no Reino Unido, estão descritos na edição deste domingo (16) da revista "Nature Geoscience".
Esses furacões apresentam um "olho" central de baixa pressão e podem provocar fortes ventos e ondas de quase 11 metros de altura, capazes de afundar pequenos navios e cobrir plataformas com um gelo espesso, ameaçando a exploração de petróleo e gás na região.
Furacão Ártico baixa polar (Foto: Courtesy of NEODAAS Dundee Satellite Receiving Station)Tempestade polar gera ventos com força de furação sobre o Atlântico Norte, mas têm tamanho pequeno, razão pela qual fica de fora de mapas (Foto: Courtesy of NEODAAS Dundee Satellite Receiving Station)
Segundo os autores, o modelo analisou a força dos ventos dessas tempestades e aponta para condições climáticas potencialmente mais frias na Europa e na América do Norte neste século do que outros trabalhos já previram.
O geocientista americano Alan Condron e o colega britânico Ian Renfrew explicam que, todos os anos, milhares de ciclones como esses ocorrem nas áreas polares do Atlântico Norte, mas nenhum modelo moderno havia conseguido simular isso, o que tornava difícil verificar, de forma confiável, as alterações na Europa e na América do Norte nas próximas duas décadas.
"Antes de as baixas polares serem vistas pela primeira vez por satélites, marinheiros frequentemente voltavam do Ártico com histórias de encontros com tempestades violentas que pareciam surgir do nada. Por causa do pequeno tamanho delas, muitas vezes ficavam de fora dos mapas meteorológicos", diz Condron, que atua na área de oceanografia física.
Os cientistas explicam que, ao retirar calor do oceano, as baixas polares favorecem que a água mais fria e densa do Atlântico Norte afunde, o que impulsiona uma circulação oceânica chamada termoalina, que transporta o calor para Europa e a América do Norte.
A descoberta também contradiz o que modelos climáticos antigos indicavam: que o calor se movia do norte em direção aos polos. Outras pesquisas têm apontado ainda que o número de baixas polares deve diminuir em um período de 20 a 50 anos.
"Se isso for verdade, poderemos ver um enfraquecimento da circulação termoalina, que pode ser capaz de compensar parte do aquecimento previsto para a Europa e a América do Norte em um futuro próximo", diz Condron.fonte:g1 natureza sp/camocim belo mar blo
g

ESTRUTURA DE IGREJA CAI E FERE FIÉS DURANTE TEMPORAL EM SANTA MARIA,RS.



Havia cerca de 200 pessoas no local, e pelo menos 12 ficaram feridas.
Pastor garante que igreja possui alvará para funcionar normalmente.

O temporal que atingiu parte do Rio Grande do Sul na noite deste domingo (16) assustou fiéis de uma igreja às margens da BR-287 em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul. A estrutura que sustenta uma cobertura de lona caiu, e pelo menos 12 pessoas ficaram feridas, com o mostra reportagem do Bom Dia Rio Grande, da RBS TV (veja no vídeo).
Os feridos está uma adolescente de 13 anos que teve uma perna perfurada por pedaços dos pilares. Ela passou por cirurgia durante a madrugada.
Estrutura de igreja caiu durante temporal em Santa Maria, RS (Foto: Reprodução/RBS TV)Estrutura de igreja caiu durante temporal em Santa Maria
(Foto: Reprodução/RBS TV)
Segundo a administração da igreja, havia cerca de 200 pessoas no local no momento da chuva. "O culto já havia se encerrado e muitas pessoas haviam saído, mas quando deu a pancada de chuva, alguns fieis ficaram dentro esperando passar. Aí um vento muito forte levantou a lona", contou o pastor Levi de Oliveira, que garante que igreja possui alvará para funcionar normalmente.
Segundo a Defesa Civil de Santa Maria, pelo menos 15 casas foram destelhadas devido à chuva, e árvores e postes caíram sobre casas e ruas. Mais de cinquenta metros quadrados de lona foram distribuídos a moradores.fonte:g1 rs/camocim belo mar blog

BRASIL TEM TAXA DE DIVÓRCIOS RECORDE EM 2011,DIZ IBGE.



Número chegou a 351.153, um crescimento de 45,6% em relação a 2010.
Mudança na lei e redução da burocracia são fatores apontados por instituto.

imagen do google.
Em 2011, o Brasil registrou a maior taxa de divórcios desde 1984, quando foi iniciada a série histórica das Estatísticas do Registro Civil, divulgada nesta segunda-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de divórcios chegou a 351.153, um crescimento de 45,6% em relação a 2010, quando foram registrados 243.224.
Segundo o IBGE, foram 2,6 divórcios para cada mil habitantes de 15 anos ou mais de idade, contra 1,8 separações em 2010.
Com isso, houve uma queda de três anos no tempo médio transcorrido entre a data do casamento e a da sentença de divórcio desde 2006 – de 18 anos para 15 anos.Conforme a pesquisa, um dos fatores foi a mudança na Constituição Federal em 2010, que derrubou o prazo para se divorciar, tornando esta a forma efetiva de dissolução dos casamentos, sem a etapa prévia da separação.
Em 2011, a maior proporção de dissoluções ocorreu em casamentos que tinham entre 5 e 9 anos de duração (20,8%), seguida de uniões de 1 e 4 anos.
Além disso a proporção do divórcio por via administrativa, possível aos casais sem filhos, passou de 26,8%, em 2001, para 37,2%, em 2011.
A idade média ao divorciar diminuiu para homens e mulheres entre 2006 e 2011. De 43 anos para 42 anos no sexo masculino, e de 40 para 39 anos no feminino.
Casamentos
Ao mesmo tempo, em 2011, foram registrados 1.026.736 casamentos, 5% a mais que no ano anterior. Deste total, 1.025.615 foram de cônjuges de 15 anos ou mais de idade. São sete casamentos para mil habitantes de 15 anos ou mais de idade.
As taxas mais elevadas de casamento estão em Rondônia, Distrito Federal, Espírito Santo e Goiás, e as menores, no Amapá e Rio Grande do Sul.
As mulheres se casam mais entre 20 a 24 anos, e os homens, entre 25 e 29 anos, o que reflete um aumento da idade para se casar. A partir dos 60 anos, as taxas do sexo masculino são mais que o dobro que as das mulheres, diz o IBGE.
As informações foram coletadas dos cartórios de registro civil, varas de família, foros ou varas cíveis e tabelionatos de notas do país.
Também aumentou o número de recasamentos, que representavam 20,3% do total das
uniões formalizadas em 2011, contra 12,3% em 2001. Rondônia (75,2%) e o Rio de Janeiro (75,5%) foram os estados com as menores proporções de casamentos entre solteiros, e Piauí o maior (92,4%). Já os casamentos entre pessoas divorciadas têm a maior proporção em São Paulo (5,2%).
Os dados também revelam o crescimento da guarda compartilhada dos filhos menores entre os cônjuges – 5,4% seguiam esse tipo de divisão, mais que o dobro do verificado em 2001 (2,7%). Ainda assim, a responsabilidade feminina ainda é a maior, 87,6%.
O compartilhamento da guarda foi mais frequente no Pará (8,9%) e no Distrito Federal (8,3%) e registrou os menores percentuais em Sergipe (2,4%) e no Rio de Janeiro (2,8%).fonte:g1 sp/camocim belo mar blog
.

COM SECA NO CEARÁ POPULAÇÃO BEBE ÁGUA CONTAMINADA E CONTRAI DOENÇAS.



Sem chuva, 174 das 184 cidades do Ceará estão em estado de emergência.

Crianças bebem água contaminada e sofrem doenças no interior.


A seca que afeta a agricultura e negócios no Ceará atinge também a saúde da população, com problemas relacionados à qualidade da água e atendimento precário nos postos de saúde, que estão sem água encanada em algumas cidades do Ceará.
Por conta da estiagem, 174 cidades das 184 do Ceará decretaram estado de emergência. Os açudes do estado têm menos de 40% da reserva de água. Número considerado crítico pelo governo.
Em Irauçuba, a 150 quilômetros de Fortaleza o 22 mil habitantes dependem de um açude quase seco. Em cinco municípios do Ceará, os açudes estão completamente secos, e a população depende da água de carro-pipa. Como a água insuficiente, a prioridade é abastecer escolas e postos de saúde.
"Minha filha estava vomitando, vomitando. Dei o soro mas não adiantou", diz a mãe Francisca Sousa Rodrigues. A filha foi contaminada e sofre diarréia por beber água contaminada. Segundo a mãe, era a única opção de água que havia disponível.
"Com essa água de má qualidade ocorre os casos de verminose, principalmente em crianças", diz a enfermeira Ana Lúcia Pereira.
Alguns moradores têm que comprar a água que consomem, outros conseguem a ajuda de vizinhos, mas eles usam água suja e contaminada. "Eu consigo a água para eles que fica em um cacimbão bem próximo a um esgoto. Então não tem qualidade e não nos responsabilizamos por nenhum dano causado pela água", diz a dona de casa Osília Rodrigues, que cede água a vizinhos.fonte:g1 ce/camocim belo mar blo
g

ENTRE GRANJA E MARTINÓPOLE: HOMENS ARMADOS TOMARAM DE ASSALTO MOTO DE CAMOCINENSE.


Dois homens armados com revólveres renderam e assaltaram duas pessoas que moram em Camocim e que no momento viajavam em uma moto entre as cidades de Granja e Martinópole. O fato ocorreu por volta das 11h00 da manhã de domingo na CE-362.

A vítima, o autônomo Paulo Teles, de 36 anos, mais conhecido como ‘Irmão Paulo’, trafegava em uma moto Honda Titan Fan 125 de cor preta e placa OCB 1849, ano 2011/2012 e levava um amigo como garupeiro, quando em certa altura foi abordado por dois elementos que trafegavam em uma moto Honda de cor prata e  sob a mira de um revólver teve que parar o veículo no meio da CE.


Nesse momento os indivíduos bastante exaltados anunciaram o assalto e ordenaram que as vítimas não reagissem. Eles foram amarrados e levados cerca de 01 km mata a dentro. Os elementos levaram a moto, celular e outros objetos das vítimas.


Alguns minutos depois as vítimas conseguiram se soltar, foram em direção ao asfalto e conseguiram pegara uma carona até Camocim, onde foram até a delegacia e relataram o fato ocorrido.

Após tomar conhecimento da ocorrência, os policiais da FTA de Granja efetuaram buscas por toda a região mais infelizmente não conseguiram localizar os elementos. 
fonte:camocim polícia 24 hs/camocim belo mar blog