domingo, 18 de janeiro de 2015

SOBRAL-CE:PRESIDENTES DAS ESCOLAS DE SAMBA PREOCUPADOS COM A "INDECISÃO" SOBRE O CARNAVAL DE SOBRAL DE 2015.


Presidentes das Escolas de Samba de Sobral estão preocupados com a “indecisão” da Prefeitura sobre o desfile das Escolas no Carnaval 2015. 
O desabafo aconteceu na manhã deste sábado(17) no Programa do Bené Fernandes, na Rádio Paraíso FM – 101,1 Mhz. Estiveram presentes os presidentes das maiores Escolas de Samba de Sobral, Narciso Sousa - Estação 1ª do Sinhá Sabóia, Gonzaga da Unidos do Alto do Cristo e o Edmílson Caburé da Mocidade Independente do Alto da Brasilia.
Segundo os dirigentes a Prefeitura, através da Secretaria de Cultura e Turismo do município, tem mantido um dialógo constante com as Escolas e sempre sinalizando para a realização de um grande desfile no Carnaval de 2015. Ocorre que nesta semana o TCM mandou um “alerta” aos Prefeitos de todo o Ceará, recomendado para os excessivos gastos na festa carnavalesca, levando em conta a situação da seca e o compromisso com o pagamento do Piso Salarial dos Professores.
Narciso Sousa falou que as Escolas de Samba de Sobral são verdadeiros representantes da Cultura Popular, sempre levando para a avenida temas importantes para que seja discutido pela sociedade. Neste ano a Estação vai discutir a cultura popular do Barro, ressaltando os grandes percursores dessa cultura, portanto, o investimento seria uma forma de manter viva essa tradição, como é feito com o Bumba-meu-boi no mês de Janeiro e com o Festival de Quadrilhas no mês de Junho.

PREFEITURAS AINDA NÃO DEFINIRAM SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

Os municípios brasileiros iniciaram o ano com uma nova preocupação: assumir a responsabilidade pela manutenção dos parques de iluminação pública como determina a Resolução Normativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
Desde o dia primeiro de janeiro, a responsabilidade já é de cada município, porém, a situação ainda está indefinida na maioria deles.
Entre as principais queixas dos gestores está a falta de equipe técnica especializada em serviços com redes elétricas e o sucateamento dos parques de iluminação pública (lâmpadas, luminárias, braços, fios) . A medida, segundo a Aneel, possibilitará para os municípios um maior controle sobre os serviços.
Na região Centro-Sul, os gestores municipais estão decidindo sobre a contração de empresas especializadas e a formação de consórcio entre prefeituras para gerenciar o serviço de manutenção (luminárias e lâmpadas). Todos, entretanto, reclamam das condições em que se encontram os equipamentos.

'SAIU COM PROBLEMAS', DIZ PASSAGEIRA SOBRE ÔNIBUS QUE TOMBOU NO PARANÁ.


Três pessoas morreram; última morte foi de bebê de 10 meses no hospital.
Empresa alega que problema na suspensão era simples e foi arrumado.

Do G1 PR/CBM
Três pessoas morreram e outras 36 foram encaminhadas para hospitais da cidade; oito seguem em estado grave (Foto: Fabio Matavelli)Três pessoas morreram e outras 36 foram encaminhadas para hospitais da cidade; oito seguem em estado grave (Foto: Fabio Matavelli)


A fiscal de caixa Liane Aparecida de Souza afirma que o ônibus que se acidentou na BR-376, na manhã deste domingo (18), estava com problemas desde a saída de Paranavaí, no noroeste do Paraná. O veículo deveria seguir até Curitiba, mas se acidentou na altura de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. Três pessoas morreram e 36 ficaram feridas; oito delas seguem estado grave.
O ônibus tombou por volta das 5h30 na BR-376, próximo à entrada de Ponta Grossa. As vítimas que faleceram no local do acidente são uma idosa de 65 anos e uma menina de 5 anos (ainda não idenficada). Pela manhã, um bebê de 10 meses que foi levado em estado grave para o Hospital Bom Jesus também morreu. Os feridos foram encaminhados para o Hospital Bom Jesus, Vicentino, Santa Casa, Hospital Geral da Unimed (HGU) e também para o Pronto Socorro Municipal de Ponta Grossa. Aos poucos, eles estão sendo liberados.
Logo ao sair de Paranavaí, o ônibus, de acordo com Liane, foi levado à oficina da empresa Viação Garcia, porque, segundo o motorista, precisava de uma pequena manutenção. "Ficamos uns 40 minutos na oficina, descemos, tiraram a roda traseira direita, no lado em que virou o ônibus", conta. Conforme a fiscal de caixa, o problema relatado pelo motorista seria na suspensão do ônibus.

EM SOBRAL-CE: BANDIDOS ABANDONAM MOTOCICLETA ROUBADA NO PADRE PALHANO.

TRIBUTO AOS ATORES.


Série que estreia na quinta, no Viva, "Grandes atores" é uma homenagem que contempla artistas brasileiros de várias gerações da TV

Image-2-Artigo-1779074-1
Marco Nanini se revoltou ao fazer comédia no Teatro
Image-0-Artigo-1779074-1
Marco Palmeira insistiu para fazer Pantanal
Image-1-Artigo-1779074-1
Murilo Benício fala sobre a perda dos pais
Image-3-Artigo-1779074-1
Osmar Prado ouviu da mãe que não tinha o biotipo de artista de TV
Image-4-Artigo-1779074-1
Milton Gonçalves foi contratado da Globo desde sua inauguração
Image-5-Artigo-1779074-1
Falabella revela que gosta de empregar os amigos
Image-6-Artigo-1779074-1
Faria fala sobre contracenar com Leila Diniz
Image-7-Artigo-1779074-1
Com Félix, de "Amor à vida", Mateus sentiu o poder da TV
Image-8-Artigo-1779074-1
Ney Latorraca, aos 70 anos, afirma que só trabalha com quem quer
Image-9-Artigo-1779074-1
Mauro Mendonça fala como conheceu a esposa
Ney Latorraca lamenta em tom bem-humorado ao comentar a importância do "Grandes atores": "Os brasileiros sabem tudo sobre a vida do Brad Pitt e quase nada da nossa". O programa estreia no Viva na quinta-feira, às 23h30. E Ney é um dos 26 homens que participam do especial de 26 episódios idealizado por Hermes Frederico, nome também por trás do "Damas da TV", exibido em 2013 no mesmo canal.
E, segundo ele, o programa atual segue o mesmo objetivo: fazer um registro do que há de mais precioso na nossa teledramaturgia. "Nem só do pão vive o homem. Estes nossos grandes atores nutriram o povo com arte e talento. Nestes 65 anos de TV, vimos o quanto nossa teledramaturgia avançou. E todos eles contribuíram de forma fundamental para isso", diz Hermes.
Para Fernando Schiavo, o gerente de marketing do Viva, o programa é uma ótima pedida para a comemoração dos cinco anos do canal, e os 50 da Globo. "Decidimos registrar histórias, memórias de gerações, e falar com quem estava disponível. O José Wilker e o Paulo Goulart estavam na lista, mas infelizmente, não gravaram com a gente", afirma Schiavo, referindo-se aos atores mortos no ano passado.
Homenageados
Quem abre os trabalhos é Tony Ramos. Famoso por papéis em novelas como "O astro" (1977), "Rainha da sucata" (1990) e, mais recentemente "O rebu", no ano passado, o ator de 66 anos acumula 50 anos e meio de carreira nas costas. Em seu depoimento, frisa que a profissão exige força de vontade. "As pessoas pensam que as coisas caem do céu, né? Tem muito jovem que fala: como faço para entrar na Globo? Eu falo: Pela porta. Sempre, sempre. Se tentar pela parede bate com a cabeça", brinca e ensina.
Na mesma linha de Tony, gente como Tarcísio Meira, Juca de Oliveira, Mauro Mendonça, Edson Celulari e Ary Fontoura, Mateus Solano, Thiago Lacerda, Cassio Gabus Mendes, Reginaldo Faria, Reynaldo Gianecchini, Miguel Falabella e Marco Nanini também entra naquele túnel do tempo para comentar passagens importantes de suas carreiras, além de traçar paralelos entre vida ficcional e vida real.
Abrir o coração é permitido, por que não? Murilo Benício, por exemplo, relembra a perda dos pais em seu episódio. "Perdi meu pai e minha mãe no espaço de seis meses. A vida ganha outra cor. Fica mais preto e branco. A perda dos pais é uma outra estrada", compara o ator, cujo último papel na TV foi o Jonas Marra, de "Geração Brasil".
Aos 67 anos, Osmar Prado conta que, ao perguntar para a mãe, ainda criança, o que era necessário para ser artista, ouviu uma resposta talvez desanimadora. "Ela me matou no nascedouro, dizendo que pra ser artista tinha que ser bonito, alto. O parâmetro dela era o Rodolfo Valentino", diz ele, citando o ator italiano radicado nos Estados Unidos e morto em 1926.
Diante das câmeras, Lázaro Ramos conta que talvez tenha começado a fazer teatro como alternativa para abrandar a timidez. "Pra mim era muito mais fácil fazer um poema, um versinho e falar numa festa do dia das mães, do que chegar em casa e dizer que amava a minha mãe".
Marcelo Serrado afirma que investiu nas aulas de teatro pelo mesmo motivo. Mas ele é franco ao revelar que sua meta era outra. "Fui um cara extrovertido na infância e na adolescência fiquei mais tímido. Aí fui fazer teatro no colégio pra soltar um pouco essa timidez... E também ficar perto das gatinhas", entrega ele, que em breve estreia um quadro do "Video show" e estará, no segundo semestre, em "Favela chique", de João Emanuel Carneiro.
Prestes a voltar à televisão em março como um vilão em "Babilônia", a sucessora de "Império" Herson Capri recorda-se que largou a faculdade de economia e um "bom salário" para investir em testes para papéis na teledramaturgia. Já Francisco Cuoco, no ar em "Boogie Oogie", revela que a vontade de atuar veio por acaso: ele passeava pela rua quando viu um anúncio para um exame na escola de artes dramáticas.
Relevância na TV
Se hoje Antonio Fagundes é um ator consagrado, ele observa que demorou dez anos para conseguir um papel relevante em novelas. Marcos Palmeira, por sua vez, garante que a insistência foi algo determinante em sua trajetória. "Fui pedir ao Jayme Monjardim para fazer "Pantanal". Ele disse: você não vê esse seu sotaque carioca? Não dá. Insisti e ganhei o papel. A primeira crítica que saiu da novela perguntava como tinham conseguido um pantaneiro que fosse ator", orgulha-se.
Para José Mayer, o Claudio Bolgari de "Império", mais do que conseguir um emprego, a ambição é essencial para quem deseja proliferar na profissão. "É preciso ter ambição no melhor sentido da palavra. Ambicionar, desejar, querer. Essas carreiras longamente plantadas têm um mérito especial", analisa.
Que o diga Luis Gustavo. O ator de 80 anos enche a boca para dizer que tem exatos 65 anos de carreira. Sim, ele estava lá desde que a TV surgiu no Brasil. "É verdade. Estou na TV desde que acenderam a primeira lâmpada", brinca ele, orgulhoso por ter um rol de personagens tão conhecidos do público, como o papel-título de Beto Rockfeller (1978), e o detetive Mário Fofoca em "Elas por elas" (1982).

CORPO DO BRASILEIRO FUZILADO NA INDONÉSIA É CREMADO.


EXECUTADO
Agência Brasil

Cinzas de Marco Archer serão levadas para o Rio de Janeiro

marco
Além do brasileiro, foram executados neste sábado cinco pessoas também condenadas por tráfico de drogas
FOTO: REUTERS
O corpo do brasileiro Marco Archer foi cremado na Indonésia, informou neste domingo (18) a embaixada brasileira em Jacarta. As cinzas serão trazidas para o Brasil pela tia dele Maria de Lurdes Archer Pinto.Archer foi fuzilado no sábado (17) por ter sido condenado por tráfico de drogas. Além do brasileiro, foram executados neste sábado cinco pessoas também condenadas portráfico de drogas.
A execução do brasileiro criou uma crise diplomática entre Brasil e Indonésia. Ontem (17) a presidente Dilma Rousseff – que chegou a fazer uma apelo ao presidente Indonésia, Joko Widodo, para que Archer não fosse morto -, se disse “consternada” e “indignada” e convocou para consultas o embaixador do Brasil em Jacarta. No meio diplomático, a medida representa uma espécie de agravo ao país no qual está o embaixador. Já o ministro das Relações ExterioresMauro Vieira, disse que a execução causa “uma sombra” na relação entre o Brasil e a Indonésia.
O carioca Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi o primeiro brasileiro executado por crime no exterior.

GUARANY DE SOBRAL-CE VENCE O CEARÁ POR 2 A 1 DE VIRADA NO ESTÁDIO DO JUNCO.

JUNCO
fonte:jogada/cbm

A equipe do Cacique do Vale consegue a segunda vitória consecutiva no campeonato

cearáa
A equipe do Cacique do Vale consegue a segunda vitória consecutiva no campeonato
WELLINGTON MACEDO
O Guarany de Sobral conseguiu se impôr em casa e venceu o Ceará por 2 a 1, de virada, neste domingo (18), no estádio Junco. A partida válida pela segunda rodada do Campeonato Cearense, do grupo A2, teve início com nove minutos de atraso, por falta deambulância no gramado. 
Com o resultado, o Cacique do Vale engata a segunda vitória no Estadual em dois jogos. Na primeira rodada do campeonato, o Guarany venceu o Maranguape no estádio Presidente Vargas
O Ceará que venceu no meio da semana o Itapipoca por 3 a 0, não conseguiu sair da boa marcação do time sobralense e amargou a primeira derrota no Estadual. A próxima partida do Ceará será realizada no estádio Presidente Vargas (PV), contra o Guarani de Juazeiro. O Gurany por sua vez, enfrenta o Maranguape, em Sobral.
Guarany guerreiro e gramado ruim
De início, o Ceará conseguiu dominar o meio-campo e fazer boas jogadas, principalmente com Marinho. Porém, mesmo com o domínio e posse de bola, a equipe do técnico Dado Cavalcanti não conseguia levar perigo ao gol de Eliardo. 
Aos poucos, o Guarany chegava ao ataque, mas nada que assustasse a defesa alvinegra. Com a briga no meio-campo, Ceará e Guarany tentava trocar passes, mesmo com o mal estado do gramado em Sobral. As bolas paradas eram sempre o maior perigo para ambas as equipes, e foi assim que nasceu o primeiro gol do jogo.

EM CAMOCIM-CE, VIGILANTE DE 23 ANOS MORRE EM COLISÃO ENTRE MOTO E CARRO NO LAGO SECO.


Em menos de um mês esse é o segundo acidente com vítima fatal registrado na recém inaugurada CE-204, que liga a cidade de Camocim à Praia do Maceió. 


O jovem vigilante de 23 anos identificado como Francisco Kelton Sousa Hora, que residia na Rua Moisés Cavalcante Rocha, no bairro da Olinda, morreu durante um violento acidente de trânsito ocorrido por volta de 01h20 da madrugada deste domingo, 18, duas curvas antes da ponte no Lago Seco, na recém-inaugurada CE 204, que liga a cidade de Camocim à Praia do Maceió.
Exatamente na data do natal, no dia 25 de dezembro de 2014, na Avenida Marilago, ali próximo, foi registrado o primeiro acidente de trânsito com vítima fatal da CE-204, o também jovem Eduardo Pereira de Brito Júnior, 28 anos, conhecido em toda a cidade como "Júnior Manteiga", perdeu a vida durante um acidente envolvendo a moto que ele conduzia e um carro. Relembre o casoAQUI.