quarta-feira, 14 de novembro de 2012

CID GOMES ANDA NA PISTA DE AEROPORTO NA BA; ANAC APURA PROCEDIMENTO.


Cid desembarcou na pista do aeroporto da Bahia e atrapalhou voos.
Segundo Anac, empresa e comandante do voo podem ter punições.


A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) investiga o desembarque de passageiros e a manobra de um avião fretado pelo governador do Ceará, Cid Gomes, na pista do aeroporto de Salvador na sexta-feira (9), que resultou na suspensão de pousos e decolagens por cinco minutos.
De acordo com a Anac, uma aeronave Cessna Citation operada pela empresa Táxi Aéreo Fortaleza (TAF), procedente de Fortaleza (CE) e fretada pelo governo do Ceará pousou no aeroporto às 13h17, e após taxiar, dois passageiros, entre eles Cid Gomes, desembarcaram e seguiram andando pela pista em direção à Base Aérea de Salvador. Com o tráfego dos dois passageiros, uma aeronave da empresa Avianca arremeteu voo e uma outra, da Gol, teve procedimento de voo abortado.

Segundo a Anac, somente após conclusão da apuração do caso, ainda sem data estabelecida, será possível definir a eventual aplicação de penalidades. Ainda de acordo com a agência, a empresa TAF e o comandante da aeronave poderão sofrer punições que variam entre multa, suspensão ou cassação de certificados.
Procurada pelo G1, a TAF afirmou que ainda não tem uma posição oficial em relação ao caso porque ainda não ouviu depoimento do comandante do voo na ocasião. A TAF diz ainda que o comandante tem autoridade absoluta da aeronave e não deve seguir recomendações de passageiros sobre locais mais adequados para posar o avião.fonte:g1 ce/camocim belo mar blog

NOIVA EM LIMUSINE EXIBE CALCINHA FIO-DENTAL PARA MOTORISTAS NA RÚSSIA.

Mulher estava a caminho do casamento e bebendo com amigas no veículo.
Motoristas que passavam buzinaram enquanto russa se exibia.


Na Rússia, uma noiva “animada” estava se exibindo para os motoristas de dentro da limusine que a levava para seu casamento. Depois de acenar e voltar para dentro do veículo, a mulher levanta o vestido e exibe suas nádegas pela janela do carro, enquanto suas amigas dão tapas.
Na gravação, é possível ver que a noiva estava bebendo junto com suas acompanhantes (vídeo).
Noiva se exibiu de dentro de limousine para mostoristas que passavam (Foto: Reprodução/LiveLeak)Noiva se exibiu de dentro de limusine para motoristas que passavam (Foto: Reprodução/LiveLeak)
Mulher havia aparecido momentos antes bebendo com amigas dentro do veículo (Foto: Reprodução/LiveLeak)Mulher havia aparecido momentos antes bebendo com amigas dentro do veículo (Foto: Reprodução/LiveLeak).fonte:g1 sp/camocim belo mar blog

EXPLOSÕES DA TRANSPOSIÇÃO RACHAM CASAS NOVAS DOS AGRICULTORES EM PE.

Em Sertânia, 39 casas trincaram e não chegaram nem a ser habitadas.
Agricultores esperam receber terrenos para começar a plantar.


Quando soube que a água do Rio São Francisco chegaria ao Sítio Barreiro, em Sertânia, no Sertão de Pernambuco, a agricultora Imaculada Maria da Silva pensou com alívio na família e nos animais. Mas, em vez de água correndo, viu a moradia construída pelo marido ser abalada cada vez que um estrondo ecoava da obra da transposição e ganhar rachaduras. Imaculada é uma das sertanejas que já teve a vida modificada pela obra de transposição, como mostra a terceira reportagem do NETV 2ª Edição sobre a transposição.
Em muitos trechos do Sertão, como na cidade de Custódia, o solo é de pedra e, para abrir caminho para a água passar, os operários tiveram que usar explosivos. Isso gerou consequências que vão muito além da construção dos canais. A quantidade de pedras arrancadas do chão revela os efeitos das detonações. Elas são necessárias e continuam acontecendo, às vezes perto, às vezes longe das vilas.
Muitas pessoas tiveram que deixar suas casas porque os canais, barragens, estações de bombeamento de água da transposição seriam construídos justo onde moravam. A negociação do Ministério da Integração com os proprietários prevê a troca por moradias em vilas como o Núcleo Habitacional Fazenda Salão, em Sertânia. Há 39 casas prontas – com cadeado no portão, teia de aranha e ninguém morando. As casas chegaram a ser sorteadas, mas antes mesmo de serem habitadas trincaram por causa das explosões. A empresa que assumiu o serviço depois que a anterior foi embora está recuperando a única vila produtiva rural de Sertânia para que os desabrigados pela obra voltem a ter o teto prometido pelo governo.
Na Vila Junco, em Cabrobó, a agricultora Luíza Isabel dos Santos até se deu o direito de fazer um jardim. “A água aqui é imensa", ela diz (Foto: Reprodução/TV Globo)Na Vila Junco, em Cabrobó, a agricultora Luíza Isabel dos Santos até se deu o direito de fazer um jardim. “A água aqui é imensa", ela diz (Foto: Reprodução/TV Globo)
Os moradores da Vila Junco, em Cabrobó, já têm. Luíza Isabel dos Santos, agricultora, até se deu o direito de fazer um jardim. “A água aqui é imensa, eu tenho dó de quem não tem ela. Às vezes tem gente que tem e não sabe usar. Eu uso, mas eu sei usar”, ensina. Depois de uma vida inteira numa casa de taipa no sítio, ela completou setenta anos no lar de alvenaria. Fez um rebaixamento de gesso no teto, mas ainda cultiva o hábito de cozinhar a lenha, embora tenha fogão a gás. Só ficou triste quando as fendas começaram a aparecer. “Aquela lá rachou de lá até aqui que eles disse que ia ser difícil reformar”, disse.

O Ministério da Integração se responsabilizou pelo conserto na casa de dona Luíza e em várias outras da vila, que os moradores rebatizaram de Baixio dos Grandes, nome da comunidade de onde tiveram que sair – são 56 unidades, de 99 metros quadrados cada. Como o terreno é grande – tem meio hectare – muita gente já construiu ao lado para os parentes. O Ministério também está ampliando a quadra de esportes e construindo uma praça. Vandeilson Ribeirto, morador, até conseguiu uma vaga de trabalho. “Foi uma reviravolta, porque a gente morava em casas de taipa antigamente, a maioria das pessoas não tinha condição boa e hoje cada um tem sua casinha”, conta. Além disso, cara um recebe um salário mínimo e meio – R$ 939 – a título de manutenção, até receber o lote produtivo prometido.
Explosões da obra causaram rachaduras em várias casas (Foto: Reprodução/TV Globo)Explosões da obra causaram rachaduras em várias casas
(Foto: Reprodução/TV Globo)
Cada família deve receber um lote de cinco hectares, sendo um já irrigado, 1,5 pronto para ser irrigado pelo produtor e 2,5 de área seca. Não há previsão para entrega desse lotes. A primeira vila construída está habitada desde maio de 2010. O projeto da transposição prevê a construção de 17 para abrigar quase 800 famílias sertanejas. Somente cinco ficaram prontas, cinco estão em obras e as sete restantes ainda estão em processo de licitação.
A vila Baixio dos Grandes tem um posto de saúde que recebe uma enfermeira duas vezes por mês e um médico uma vez por mês. Na escola, estudam 42 crianças – muitas da redondeza. E há a sede da associação de moradores, onde todos participam de cursos de capacitação e qualificação oferecidos pelo ministério. Eles aprendem sobre educação ambiental, associativismo, produção de alimentos. Carla Grazieli foi capacitada para ser uma líder comunitária. Ela diz que não foi fácil para o pessoal que morava afastado na zona rural ter tantos vizinhos por perto, juntar o lixo e esperar o caminhão de coleta, assim como ter que se habituar com a vida sem área para plantar cebola e criar animais. “Está bastante ruim. A comunidade vivia da agricultura, trabalhava na roça. De imediato tá sendo ruim porque a gente tá sem os lotes produtivos, não tem onde trabalhar”, argumenta.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabrobó tem acompanhado de perto a questão da moradia e a do emprego. Os postos de trabalho sumiram à medida que as obras da transposição foram sendo paralisadas. Hoje, pelos dados do Ministério, há menos da metade da quantidade de trabalhadores que já esteve empregada. “Muitas pessoas têm ido procurar refúgio em Minas Gerais, trabalhando na Vale do Rio Doce. Outros estão fazendo a construção de obras no Recife. Vai o chefe de família, fica a esposa com filhos, recebendo recurso pra que possa tá fazendo a sobrevivência”, conta Marcos Antônio Cavalcante, presidente do Sindicato.
Em Floresta, os moradores do assentamento Serra Negra vivem a expectativa da demolição do posto de saúde. Técnicos do Ministério estiveram lá para negociar. “Ofereceram, no primeiro laudo R$ 18 mil e pouco e no outro foi R$ 22 e pouco. A comunidade não aceitou porque não dava. Queriam botar a responsabilidade da associação para construir e com esse dinheiro a gente não construía”, diz Carmélio de Souza Guerra, presidente da associação do assentamento. O posto, a 65 quilômetros do centro de Floresta, é o mais próximo para 400 famílias da zona rural. Tem médico, dentista e remédios.
As negociações foram suspensas, assim como a obra nos lotes que passam perto do assentamento. Resta, entre um buraco na terra e outro, um cenário esquisito onde antes havia expectativa de vida melhor. Os operários se empenharam para retirar toda a mata. Outros tantos cavaram o canal. A água escorreria entre paredes de concreto. Só que a obra parou e o serviço já feito vai precisar ser novamente executado. “O que a gente esperava quando ouvia falar da transposição era que ia ser uma coisa boa pra comunidade porque a gente tem os melhores solos da região, em Floresta, aqui no assentamento Serra Negra. A gente se sente frustrado porque é muito dinheiro público investido e as obras, abandonadas e paradas”, analisa Manuel Joaquim da Silva, agricultor e coordenador do Sindicato dos Agricultores Familiares de Floresta.fonte:G1 PE/camocim belo mar blog

PREFEITOS FAZEM PROTESTO CONTRA A FALTA DE RECURSOS.



Os gestores querem uma reposição do FPM de forma imediata, já que é uma das principais receitas dos municípios
Brasília/Fortaleza. Um total de 60 municípios cearenses estão em greve, a fim de chamar a atenção para a crise financeira nas Prefeituras. Além da redução nos repasses federais, houve um aumento das despesas. Ontem, prefeitos do Estado participaram da mobilização da Confederação Nacional dos Município (CNM), para reivindicar, dentre outros pleitos, uma suplementa-ção financeira para fechar as contas deste ano dentro do prazo.

A reunião pela manhã foi enfática ao frisar a crise financeira vivida pelos municípios e a necessidade de uma ampla mobilização dos gestores FOTO: ANDRÉ OLIVEIRA


A paralisação tem por objetivo alertar e sensibilizar o Governo Federal sobre a situação precária de arrecadação enfrentada pelos municípios. Diante da crise financeira, e obrigações legais de final de mandatos, municípios do Ceará acompanham a iniciativa das cidades de Pernambuco em paralisar seus serviços durante esta semana.

A Aprece, liderando comitiva de prefeitos cearenses, participou, ontem, de concentração no Senado Federal, onde aguardava receber o retorno prometido pela ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, às reivindicações dos municípios como as citadas acima entregues em outubro para análise da presidente Dilma Rousseff. A expectativa é a de que a CNM e Associações Estaduais de Municípios, a exemplo da Aprece, sejam recebidas em audiência pela presidente Dilma. A partir dessa audiência será decidida a continuidade ou não do movimento de paralisação das prefeituras.

Mobilização
Segundo a presidente da Aprece, Eliene Brasileiro, as Prefeituras do Ceará não podem mais suportar a crise financeira e não aguentam mais aguardar uma definição do governo para a solução dos seus problemas. Por este motivo, algumas Prefeituras do Estado amanheceram com as portas fechadas e dezenas delas estavam com seus representantes ontem em Brasília, participando mais uma vez de uma manifestação promovida pela CNM, dentro da Mobilização Permanente em busca de uma solução nacional para a crise financeira municipal.

Enquanto isso, mais de 3 mil prefeitos estiveram presentes na manifestação do Auditório Petrônio Portela, no Senado, que antecedeu ao encontro dos prefeitos com a ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais. O prefeito de Caucaia, Washington Gois, que participou da reunião pela manhã, informou que sua Prefeitura funciona normalmente e que não pretende fechar as portas, durante a manifestação encabeçada pelos municípios de Pernambuco. "Nós em Caucaia não vamos fechar. Não sei se esta manifestação é forte no Ceará. A situação dos municípios em geral é crítica, mas em Caucaia estamos com todos os pagamentos em dia. A área mais carente é a da saúde, mesmo assim estamos funcionando", afirmou Washington Luiz, que disse não ter recebido orientação para o fechamento das portas da sua Prefeitura.

O prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, também afirmou que não vai fechar as portas. Roberto Pessoa avalia que as reivindicações das Prefeituras do Ceará são comuns às demais gestões municipais em todo o País. Para Roberto, a recomposição dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) tem que ocorrer imediatamente, sob pena de vários gestores acabarem caindo na ilegalidade.

"Nós vivemos um momento problemático e estamos esperando uma posição do Governo Federal. Pedra Branca não fechou as portas e vai esperar uma posição do governo, conversar com a Aprece e só depois tomar uma decisão", afirmou o prefeito Antônio Gois. Segundo ele, a área mais crítica em seu município é a da educação, seguida pela saúde. "O problema da saúde é sério porque aumentaram o piso e diminuíram o repasse. Pedra Branca deixou de receber R$ 1,4 milhão. É uma folha da educação", avaliou o prefeito.

Sem retorno
Eliane Brasileiro não escondia sua insatisfação com a total falta de retorno do Governo Federal, após o prazo de um mês dado no último encontro, em outubro, quando foi apresentada a pauta municipalista. "Este prazo acabou hoje (13) e o governo não fez uma única manifestação".

Ela lembrou que é estimada em R$ 2 bilhões, a suplementa-ção para que os 184 municípios do Estado fechem 2012 com as contas em dia, e sem deixar restos a pagar para os próximos prefeitos, infringindo a LRF. Segundo cálculos da CNM, as perdas dos municípios cearenses já somam R$ 1,432 bilhão, valor equivalente a 15,3% de toda a receita disponível este ano, que deve chegar a R$ 12,765 bilhões. Dentre as Prefeituras representadas em Brasília, ontem, estavam, além de Caucaia e Pedra Branca, Acarape, Quixerê, Assaré, Crateús, Quixadá, Pacatuba, Paracuru, Cascavel, Barreira e Tururu.

Mais informações:
Aprece
Av. Oliveira Paiva, Nº 2621 - Seis Bocas - Fortaleza/CE
Telefone: (85) 4006.4000
http://www.aprece.org.br/

fonte:DN Online/camocim belo mar blog

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA FESTA DE BOM JESUS DOS NAVEGANTES DE 2012.



  FESTA DE BOM JESUS DOS NAVEGANTES
PADROEIRO DE CAMOCIM


"BOM JESUS,ABRE-NOS AS PORTAS DA FÉ E CURA-NOS!"


DE 15 À 25 DE NOVEMBRO DE 2012


PROGRAMAÇÃO DA FESTA



DIA 15/11 (Quinta): ABERTURA DA FESTA
05:30h – Despertar com alvorada festiva e carro de som nas ruas.
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
19:00h – Hasteamento da bandeira e celebração eucarística
Convidados:Todos os polos da paróquia e comunidade
Liturgia:Pastoral litúrgica da Matriz.
Música:Ministério de música da Matriz

   DIA 16/11 (Sexta)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h  - Celebração eucarística - Primeira Novena
Responsável: Polo Cruzeiro
Convidados:Apostolado da oração,Irmãos do Santíssimo e ECC.
Liturgia:Polo Cruzeiro
Música:Ministério de música do Cruzeiro

 DIA 17/11 (Sábado)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h  - Celebração eucarística - Segunda Novena
Responsável: Polo Olinda
Convidados:Pastoral Bíblica
Liturgia:Polo Olinda
Música:Coral Cuca(adolescentes)

 DIA 18/11 (Domingo)
09:00h -  Missa das crianças
18:45h - Terço Mariano
19:00h - Celebração eucarística - Terceira Novena
Responsável: Polo Matriz
Convidados:Pastoral catequética,SSVP e JUCA.
Liturgia:Polo Matriz
Música:Grupo Apóstolos
neste dia haverá leilão.


 DIA 19/11 (Segunda)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h  - Celebração eucarística - Quarta Novena
Responsável: Polo Nossa Senhora de Nazaré
Convidados:Legião de Maria,Congregação Mariana,Mãe Rainha e Terço dos Homens.
Liturgia:Polo N.S de Nazaré.
Música:Coral Rosa de Saron

 DIA 20/11 (Terça)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h  - Celebração eucarística -Quinta Novena
Responsável: Polo São Francisco
Convidados:OFS,OVS,JUFRA,Irmãs missionárias capuchinhas
Liturgia:Polo São Francisco
Música:Ministério de música de São Francisco  

 DIA 21/11 (Quarta)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h - Celebração eucarística - Sexta Novena
Responsável: Polo Santo Expedito
Convidados:Ministros da palavra e Dizimistas.
Liturgia:Polo Santo Expedito
Música:Ministério de música de Santo Expedito.  

 DIA 22/11 (Quinta)

09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h - Celebração eucarística - Sétima Novena
Responsável: Polo São José
Convidados:Ministros da Eucaristia
Liturgia:Polo São José
Música:Coral Raio de luz.

 DIA 23/11 (Sexta)
09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:45h - Terço Mariano
19:00h - Celebração eucarística - Oitava Novena
Responsável: Polo São Pedro
Convidados:Com.São Pedro,Pastoral da criança e CEBS.
Liturgia:Polo São Pedro.
Música:Ministério de música de São Pedro.  

 DIA 24/11 (Sábado)

09:00h -  Adoração ao Santíssimo Sacramento
18:15h - Ofício da Imaculada Conceição.
19:00h - Celebração eucarística - Nona Novena
Responsável: Polo Nossa Senhora de Fátima
Convidados:RCC.
Liturgia:Polo Nossa Senhora de Fátima.
Música:Ministério de música da RCC.   

 DIA 25/11 (Domingo)

09:00h -  Missa das crianças com o Coral Água Viva.
10:30h - Batizados
18:00h - Celebração eucarística
Responsável: Polo Cruzeiro
Convidados:Todas as comunidades e Polos.
19:00h - Procissão e arriamento da bandeira.
Liturgia:Pastoral Litúrgica da Matriz.
Música:Ministério de música da Matriz.

PROGRAMAÇÃO SOCIAL:

Dia 18 -Domingo - Leilão da Matriz

Dia 23-Sexta - Leilão das comunidades 

Dia 24 - Domingo - Leilão dos garrotes.

Fonte: PARÓQUIA BOM JESUS DOS NAVEGANTES-DIOCESE DE TIANGUÁ-CE.fonte:camocim-ceara blog/camocim belo mar blog

JOGADORES SE REÚNEM E TIGRE QUER SE DESPEDIR COM DIGNIDADE.

  I022729.jpg

Ipatinga recebe o Guaratinguetá, no sábado, pela penúltima rodada da Série B
Comissão técnica e jogadores do Tigre tiveram longa conversa ontem à tarde, no Ipatingão
IPATINGA – Em clima de reflexão e incertezas – já que os contratos de alguns jogadores terminam neste mês –, o elenco do Ipatinga, futuro Betim Futebol Clube, se reapresentou na tarde dessa terça-feira, no Ipatingão, após a folga de domingo e segunda. No último sábado, o Tigre foi derrotado pelo Paraná Clube por 2 a 0, em Curitiba, resultado que determinou o rebaixamento do clube para a Série C do Brasileiro.
Antes do treino tático realizado na tarde passada, jogadores e comissão técnica tiveram uma longa conversa. Além de fazer um balanço da campanha na Série B do Brasileiro, o técnico Eugênio Souza pregou a necessidade de motivação para as duas últimas rodadas da competição. No próximo sábado, o Tigre recebe o Guaratinguetá, às 16h20. No dia 24, encara o América-MG, no Independência, pela rodada derradeira.
Após o treino de ontem, o meia Bruninho e o goleiro Helton Leite conversaram com a imprensa. Os dois manifestaram o desejo de terminar a Série B com hombridade.
“O que nos resta é terminar o campeonato de cabeça erguida. Agora é ter tranquilidade e procurar honrar a camisa do Ipatinga nas duas últimas rodadas da Série B”, comentou Bruninho. “Vamos trabalhar forte nesta semana para conseguir a vitória contra o Guaratinguetá”, completou o meio-campista.
Helton Leite endossou as palavras de Bruninho. “Depois do jogo contra o Paraná foi o momento de baixar a cabeça e ter tranquilidade. Só agora é que tivemos uma conversa com a comissão técnica. Apesar do rebaixamento, nos foi passada a importância do jogo contra o Guaratinguetá e contra o América-MG. Vamos entrar focados nestes jogos para terminarmos a competição com dignidade”, frisou o goleiro.
Helton Leite disputou sua primeira competição nacional, e no momento é titular absoluto do Tigre. Para ele, o balanço é positivo, apesar do rebaixamento. “Foi um momento de muito aprendizado, de maturidade, que vou levar para toda minha carreira. Agora é amadurecer e crescer como um goleiro profissional”, projeta.

“Mala branca” é bem-vinda

O Bragantino, primeiro time fora da zona de rebaixamento, na 16ª colocação, com 38 pontos, e o CRB-AL, 18º, com 36, devem enviar incentivo financeiro aos jogadores do Ipatinga para que vençam o Guaratinguetá, concorrente dos paulistas e dos alagoanos na luta contra a degola. O Guará é 17º colocado, com 37 pontos.
Com quatro meses de salários em atraso, os jogadores do Tigre agradecem a famosa “mala branca”. Apesar disso, o meia Bruninho diz que a motivação para o duelo contra o Guaratinguetá, no sábado, não existirá apenas pelo incentivo extra.
“Temos que ter motivação, independentemente do dinheiro. Para nós que jogamos futebol, o dinheiro é importante. Mas, apesar disso, vamos entrar motivados para buscar os três pontos”, garante Bruninho.
Além do Ipatinga, vice-lanterna da Série B, com 31 pontos, o Grêmio Barueri, último colocado, com 27, também está rebaixado para a Terceirona. Depois do encerramento da Série B, o Tigre vai se transferir para Betim.

Wôlmer Ezequiel
I022730.jpg
Márcio Diogo (E) e Gedeílson erraram gols incríveis contra o Bragantino, no último dia 6.
fonte:Diario de aço/camocim belo mar blog

LADY GAGA É ATINGIDA POR OBJETO NO ROSTO EM SHOW NO BRASIL.




A cantora Lady Gaga foi atingida por um objeto neste domingo (11) durante apresentação no Estádio do Morumbi, em São Paulo, diante de um público de 50 mil pessoas. A artista ficou assustada e o ato provocou vaias do público mas a apresentação continuou normalmente e não feriu a cantora americana.

A situação desagradável ocorreu quando ela estava sentada no palco ao lado de alguns fãs, abrindo presentes que o público havia jogado para ela. Assustada, ela se levantou rápido e arrumou o cabelo. Apesar da agressão, ela repreendeu as vaias: "Não. Não façam isso. Eu estou bem!"

Mesmo após o episódio, Lady Gaga atendeu pedidos dos fãs e fugindo do protocolo, cantou duas músicas que não estão no repertório da turnê "Born this Way Ball". Na sexta-feira (09), ela se apresentou no Rio de Janeiro e ontem(13), em Porto Alegre.fonte:bonde/camocim belo mar blog

"ARRASADO", HUDSON É PROIBIDO DE IR A VELÓRIO DA EX MULHER.



O cantor sertanejo Hudson (da dupla Edson e Hudson), foi impedido por familiares e amigos da ex-mulher, Larissa Lopes, de participar do velório dela. Larissa morreu com um tiro na cabeça na segunda-feira (12) dentro da concessionário do pai, em Limeira, interior de São Paulo. A Polícia Civil suspeita de suicídio.
Hudson e Larissa estavam separados há cerca de um ano. Na tarde de terça-feira (13), a assessoria de Hudson divulgou uma carta de despedida do cantor para a ex-mulher.

Veja na íntegra a mensagem:

"Você e eu sabemos da nossa verdade. Sabemos que o que vivemos e planejamos era sério. Quantas fotos, quantas lembranças boas! Sabemos que momentos infelizes praticamente não vivemos. Quando você foi embora, eu tinha certeza que voltaríamos muito rápido. Nós sabemos que essa separação nunca foi verdadeira. Quando entrei no quarto do hospital, vi você se despedir de mim pela última vez. Naquele lugar, somente eu e você. Chorei e te amei. Nós sabemos que nosso amor sempre será eterno. Estou arrasado, moído e até agora não entendi nada. Te amo muito Magrela do Lemão! Um pouco de mim também morreu."fonte:bonde/camocim belo mar blog

INVESTIGAÇÃO DIZ QUE 'AÇÃO SELVAGEM' MATOU BRASILEIRO EM SYDNEY.



Justiça australiana criticou papel da polícia na morte de Roberto Curti.
Os cinco policiais envolvidos serão alvo de ação disciplinar.


A justiça australiana criticou nesta quarta-feira o papel da polícia na morte do brasileiro Roberto Laudisio Curti, que foi vítima de diversos disparos com uma arma de descarga elétrica.
A legista Mary Jerram, de Nova Gales do Sul, afirmou que não podia determinar a causa da morte do estudante de 21 anos em março, mas destacou que "é impossível pensar que teria falecido sem a ação policial". Segundo ela, os agentes agiram de forma "selvagem" ao interpelar o jovem brasileiro.
A funcionária de Nova Gales do Sul que investiga a morte de Roberto Curti, 21 anos, recomendou que os cinco policiais envolvidos sejam alvo de uma ação disciplinar e que haja uma imediata revisão dos critérios de uso de armas (de choque) Taser pela polícia local.
Todas as recomendações da funcionária foram aceitas pela polícia.

O chefe de polícia Andrew Scipione afirmou, no entanto, que os Taser podem ser utilizados e que "estas armas salvam vidas".
Os policiais interpelaram Roberto Curti na rua, após o jovem consumir LSD com dois amigos, acreditando que o brasileiro havia assaltado uma loja de conveniência minutos antes.
Roberto recebeu ao menos 14 choques com armas Taser, foi jogado ao chão e teve spray de pimenta pulverizado contra o rosto, em uma ação "negligente, descuidada, perigosa e de força excessiva", destacou Jerram.
"Houve abuso da força policial em vários momentos. Eles tiveram comportamento, em parte, de delinquentes", completou.
O uso da arma Teaser foi "selvagem e fora de controle" contra o jovem brasileiro, com os policiais agindo "sem a menor ideia do que havia ocorrido" antes de interpelar Roberto Curti, que gritava com meia tonelada de agentes sobre ele, segundo a legista.
Os policiais afirmaram que Roberto Curti parecia um "super-humano", reagindo com extrema força, mas as câmeras revelam que ele foi rapidamente algemado após ser jogado ao chão.
Mary Jerram concluiu que mesmo após estar com os braços e as pernas imobilizados, com um agente sobre as suas costas, Roberto Curti foi atingido por disparos de Taser e jatos de spray de pimenta no rosto.
Minutos depois, desfaleceu e não pode mais ser revivido.
Parentes de Curti elogiaram as conclusões da justiça, mas destacaram que continuarão lutando por uma punição para os policiais.
"Sabemos que nada vai devolver Beto, mas continuaremos lutando para que os responsáveis enfrentem as consequências deste comportamento escandaloso naquela noite", afirmou à imprensa Michael Reynolds, porta-voz dos familiares do brasileiro.fonte:g1 mundo/camocim belo mar blog

AMBIENTALISTAS ABANDONAM AS FAMÍLIAS PELA PRESERVAÇÃO DE CANANÉIA.


Pesquisadores foram morar em Cananéia para estudar o boto-cinza.
Argentinos sairam do país para preservar o ecossistema brasileiro.



Grupo de pesquisadores desenvolvem diversas atividades em Cananéia, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)Grupo de pesquisadores desenvolvem diversas atividades em Cananéia, SP (Foto: Mariane Rossi/G1)
Movidos a paixão pelo ambiente marinho e pelo boto cinza, 17 pesquisadores deixaram suas famílias em outro estado ou país e foram para Cananéia, no litoral sul de São Paulo, se dedicar ao estudo e a preservação do Lagamar, um dos estuários mais produtivos e menos degradados do mundo.

Entre os pesquisadores, não há ninguém que seja de Cananéia. Apenas o barqueiro, que faz o transporte desse pessoal, e os 12 adolescentes que participam do programa Jovem Pesquisador, são da cidade. Eles se uniram a um mesmo objetivo: preservar a espécie boto cinza e o ecossistema ligado a ela. Para isso, enfrentam várias dificuldades financeiras e de logística para realizar as pesquisas e as análises dos animais, convivendo diariamente com a saudade dos familiares.
Daiana Proença Bezerra, de 26 anos, saiu de Itapetininga aos 18. Desde então, não voltou mais a morar na sua cidade natal. Hoje, Daiana é bióloga e coordenadora de educação ambiental do Projeto Boto Cinza. Ela chegou em Cananéia ainda como universitária em busca de outro animal marinho. “Eu queria trabalhar com as tartarugas e, aqui na região, tem a passagem das cinco espécies”, conta ela. Há 4 anos Daiana trabalha no Instituto de Pesquisas de Cananéia. Ela finalizou seu estudo sobre as tartarugas e também está fazendo Mestrado em Ecologia e Conservação, em Curitiba. “Só a graduação é muito pouco. Temos que buscar outras coisas para acrescentar na nossa vida acadêmica”, disse ela, que tenta, pelo menos uma vez por mês, visitar os pais na cidade o interior de São Paulo.
Daiana saiu de Itapetininga, SP, para participar do projeto em Cananeia (Foto: Mariane Rossi/G1)Daiana saiu de Itapetininga, SP, para participar do
projeto em Cananeia (Foto: Mariane Rossi/G1)
Assim como Daiana, muitos integrantes do projeto moram juntos como uma forma de superar as dificuldades e economizar dinheiro. Esse é o caso da recifense Rebeca Pires Wanderley, de 27 anos, que mora com mais dois biólogos. Rebeca garante que está acostumada com mudanças em sua vida. Aos 6 anos de idade ela saiu da capital de Pernambuco por conta do trabalho do pai, indo morar em Manaus. Aos 15, foi parar em Curitiba. Alguns anos depois, porém, em uma universidade do Paraná, começou a realizar seu desejo de trabalhar com os animais. Pouco tempo depois, conheceu Cananéia. “Eu já queria trabalhar com os golfinhos desde o começo da faculdade. Vim em 2005 para fazer um estágio. Fiquei um mês. Acabei vindo sempre, participando de cursos e fiz meu TCC aqui”, conta ela, que fez um estudo sobre a bioacústica do boto-cinza e agora faz mestrado no Paraná.
Os pais de Rebeca retornaram para Recife assim que a jovem mudou-se para Cananéia. Ela diz que ficar longe da família é bem difícil e que tem que viver com a saudade, já que consegue visitá-los apenas uma ou duas vezes por ano. “Eles foram se acostumando com o estágio. Não foi fácil, mas eles entenderam que essa é a minha profissão”, diz. Ela está há um ano e meio no litoral sul do Estado de São Paulo e diz que como já morou em diversas regiões do país, aprendeu a se adaptar a particularidades regionais que existem no Brasil. “É muito diferente em cada lugar que eu fui. Não existe o certo ou o errado. Você tem que abrir a sua mente”, fala.
Estrangeiros
Entre os pesquisadores também há estrangeiros que se encantaram pelo universo marinho presente na região de Cananéia. Daniel Esteban Gómez e Julieta Sánchez Desvaux, ambos da Argentina, moram há quase três anos na cidade litorânea. Já as portuguesas Sara Joana Pereira Pedro e Inês Ferreira Guedes estão há 8 meses no Brasil.
O casal Julieta e Daniel se conheceu no curso de Ciências Biológicas da Universidad Nacional del Nordeste, na Província de Corrientes, na Argentina. A vontade de Julieta de conhecer melhor os golfinhos trouxe os dois para Cananéia, há quase três anos. “Desde que estava cursando o ensino médio, eu gostava dos cetáceos (golfinhos e baleias). Tinha decidido estudar esses animais. Comecei a procurar um instituto onde sejam realizados estudos sobre cetáceos e foi assim que contatei a Dra. Gislaine Filla, que me encaminhou ao Projeto Resgate do Instituto de Pesquisas Cananéia para fazer inicialmente um estágio, por um período de dois meses”, conta. Segundo ela, a experiência foi maravilhosa e, por isso, decidiu voltar para a cidade e fazer parte da equipe de pesquisadores do instituto.
Pesquisadora desenvolve atividade de educação ambiental com crianças (Foto: Mariane Rossi/G1)Pesquisadora desenvolve atividade de educação
ambiental com crianças (Foto: Mariane Rossi/G1)
Já para Daniel, a oportunidade foi irrecusável. “Para os biólogos, o Brasil é a maior expressão de biodiversidade. Fiquei muito interessado em incrementar meus conhecimentos sobre os animais estuarinos e marinhos, que a gente só conhecia na teoria, por meio dos livros na faculdade”, conta ele.
Julieta faz pesquisas sobre a mortalidade do boto cinza relacionada com as atividades pesqueiras na região, e desenvolve estudos de mortalidade em outra espécie de golfinho, a toninha. Já Daniel estuda a dieta do boto-cinza e das aves marinhas, registrando a ocorrência de animais marinhos encalhados.
Longe do país de origem e de toda a cultura, eles procuram driblar a saudade da família e da terra. Para isso, o casal mantêm contato com os familiares pela internet e pelo telefone. “A minha família está feliz de me ver realizando os meus sonhos profissionais e pessoais”, diz Julieta. Daniel também fala que a distância atrapalha, mas o casal encontrou uma nova forma de conviver com essa carência familiar. “A chegada da minha primeira filha, Valentina, mudou minha vida e trouxe para nós uma felicidade enorme que encurtou essa distância”, afirma.
Julieta fala que o projeto é feito com pessoas dispostas e dedicadas a pesquisar, aprender e transmitir os conhecimentos gerados no dia a dia sobre o boto-cinza. Para Daniel, todo o trabalho de pesquisa e conscientização irá refletir no futuro da filha. "Lutamos por uma causa comum, que é a conservação do Boto-cinza e, assim, procuraramos que as gerações futuras possam conhecê-lo ao vivo, e não por imagens do passado”, diz ele.fonte:G1 SP/camocim belo mar blog

REJEIÇÃO DE TRANPLANTE DO EX-JOGADOR ALEX ALVES É RARA,EXPLICAM MÉDICOS.


Complicação grave após transplante de medula ocorre em 10% dos casos.
Atacante sofria desde 2007 com doença crônica e benigna no sangue.


Jogador Alex Alves faz tratamento contra leucemia em Jaú. (Foto:  Globoesporte.com)Ex-jogador Alex Alves morreu após rejeição em um
transplante de medula (Foto: Globoesporte.com)
A doença responsável pela morte do ex-jogador de futebol Alex Alves, de 37 anos, na manhã desta quarta-feira (14), ocorre quando há uma rejeição rara após um transplante de medula óssea, segundo explica o hematologista Afonso Vigorito, supervisor da unidade de transplantes do Hemocentro do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Alex Alves, que jogou em times como Vitória, Palmeiras, Cruzeiro, Atlético-MG, Vasco e Portugues, estava internado no Hospital Amaral Carvalho, em Jaú (SP), considerado um centro de referência de transplantes, e morreu às 8h40 da manhã desta quarta.
Em 2007, ele havia sido diagnosticado com uma doença chamada hemoglobinúria paroxística noturna (HPN), que destrói os glóbulos vermelhos do sangue (hemácias). No fim de outubro, o ex-jogador precisou passar por um transplante de medula óssea e, duas semanas depois, acabou não resistindo ao procedimento.
O médico da Unicamp explica que a medula óssea é um tecido dentro dos ossos que produz glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Dentro dos glóbulos brancos, existem os chamados "vigilantes", que controlam o nosso sistema de defesa.
"A doença do enxerto contra o hospedeiro aguda (que causou a morte de Alex Alves) é uma rejeição ao contrário, pois não é o organismo do paciente que recusa o tecido, são os novos glóbulos brancos introduzidos no transplante que reconhecem a pessoa como 'diferente' e se voltam contra ela", esclarece.
Na definição do hematologista Fabio Kerbauy, médico e pesquisador do serviço de transplante de medula óssea da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Hospital Israelita Albert Einstein, o sistema de defesa da pessoa é substituído, e nesse caso atípico ele começa a atingir as células do organismo – que, por sua vez, preparam um "contra-ataque".
Nessa situação, por mais compatível que o doador e o receptor sejam – Alex Alves recebeu a medula do irmão –, as células de defesa chamadas linfócitos começam a atacar o fígado, o intestino e a pele. No fígado, podem causar uma hepatite, com icterícia (pele amarelada); no intestino, o sintoma é diarreia; e na pele pode haver inchaço e uma vermelhidão localizada ou pelo corpo todo, com pequenas pintas que lembram um sarampo.
"Normalmente, essa doença aguda acontece depois que a medula 'pega', ou seja, depois que ela começa a se desenvolver no indivíduo transplantado. Isso se dá entre o 30º e o 100º dia", diz Vigorito.
Segundo o hematologista da Unicamp, não é comum tratar com transplantes a doença que Alex Alves teve. Essa indicação é feita em 5% a 10% dos casos. Entre os pacientes que acabam se submetendo a esse procedimento, de 30% a 50% podem evoluir para a doença do enxerto, e apenas 10% apresentam uma manifestação grave que acaba levando à morte.
"Apesar de rara, essa pode ser uma complicação do transplante, não temos como estimar quem serão os 10%. Antes do procedimento, o paciente sabe dos riscos", afirma o médico.
De acordo com Vigorito, casos de rejeição em geral podem ser controlados com o uso de medicamentos como corticoides e imunossupressores. E, antes mesmo do transplante, durante uma semana, as pessoas passam por um processo chamado condicionamento, que destrói todas as defesas do paciente para diminuir ainda mais o risco de rejeição do enxerto.
Hemoglobinúria paroxística noturna (HPN)
A hemoglobinúria paroxística noturna (HPN), doença com a qual o ex-atacante foi diagnosticado há cinco anos, é um problema crônico do sangue considerado raro, porém benigno, segundo o hematologista da Unicamp.
"É um defeito na membrana que reveste os glóbulos vermelhos. Com essa falha na capa de proteção, a hemoglobina – proteína que contém ferro e carrega oxigênio – fica livre no sangue e vai para a urina, que fica escura. Isso se concentra mais à noite, por isso o paciente percebe o xixi marrom na primeira ida do dia ao banheiro", explica o médico.
Essa alteração provoca a destruição dos glóbulos vermelhos do sangue, cuja função é transportar oxigênio e gás carbônico para os tecidos do corpo. Com isso, o indivíduo acaba tendo uma anemia, com fraqueza e falta de ferro e energia. Também pode apresentar outras complicações, como trombose – formação de coágulos dentro dos vasos sanguíneos. Mas a condição não evolui para leucemia.
"O tratamento é feito com corticoides ou com um novo remédio que tem anticorpos específicos para inibir a destruição das hemácias. A HPN pode ser controlada, mas o que limita muito a qualidade de vida é a anemia", afirma Vigorito.
Segundo o médico, a HPN pode atingir homens e mulheres de qualquer idade, e é uma doença adquirida, sem fatores genéticos ou hereditários associados. As chances de cura dependem do tratamento e das eventuais complicações.
O hematologista da Unicamp diz que essa doença só tem indicação de transplante de medula em três situações: quando a anemia não pode ser controlada pelo tratamento convencional, quando há tromboses repetidas, ou quando a medula para de funcionar.
O médico Fabio Kerbauy, do Albert Einstein, complementa que a cura definitiva só é possível após o transplante – do contrário, existe apenas controle, mas o problema pode evoluir.
Sonhava com jogo festivo
De acordo com enfermeiros do hospital onde Alex Alves estava internado, o paciente estava animado com a recuperação, conversava por telefone com o ex-jogador Vampeta e sonhava com a chance de fazer um jogo festivo em Jaú. Além disso, ele mantinha a vaidade e não queria receber visitas enquanto estivesse com o corpo inchado.
O médico Mair Pedro de Souza, oncologista do hospital, disse que Alex Alves sabia dos riscos do transplante e estava confiante. Também comentava muito sobre os amigos, principalmente de Vitória, e recebia muitas mensagens do país e do exterior.
"O paciente jogou de 2007 a 2010 e já tinha a doença, mas os exercícios durante esse período não interferiram nas complicações. Ele apresentou um quadro de trombose no membro inferior e no fígado, que já tinha alterações. A cada 1.900 transplantes de medula, apenas 20 têm essa mesma doença", explica Souza..fonte:g1 sp/camocim belo mar blog