quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

EM 2014,PRINCIPAL BRIGA NO FUTEBOL BRASILEIRO SERÁ NA POLÍTICA.

 

Esqueça a bola. Em 2014, disputa mesmo no futebol brasileiro será na urna...


Em 2014, principal briga no futebol brasileiro será na política
Esqueça a bola. Em 2014, disputa mesmo no futebol brasileiro será na urna. Além da CBF, que promete ter uma disputa de verdade pela presidência pela primeira vez em 25 anos, nada menos do que 10 dos 12 principais clubes do país vão escolher novos comandantes neste ano.

ANS OBRIGA PLANOS A COBRIR MAIS 37 DROGAS.

 

Medicamentos orais contra o câncer estão no rol de itens obrigatórios a partir desta quinta-feira

Governo obriga planos de saúde a cobrir mais 37 remédios
A partir desta quinta-feira, usuários de planos de saúde terão direito a receber 37 drogas orais indicadas para o tratamento de 56 tipos de câncer. Também poderão fazer uma série de exames genéticos para detectar risco de doenças hereditárias ou de câncer.
As novidades constam do novo rol de procedimentos e exames obrigatórios aos planos de saúde, atualizado a cada dois anos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O novo rol é a base mínima de procedimentos que as operadoras de planos de saúde são obrigadas a fornecer aos seus beneficiários. As novas regras também incluem a obrigatoriedade da cobertura da radioterapia IMRT, em que o feixe de luz é modulado e atinge apenas as células doentes, preservando as sadias. Também está incluída a ampliação da indicação do PET-Scan de três para oito tipos de câncer. Esse exame de imagem é um dos mais modernos para monitoramento da doença.

Medicação oral. O fornecimento da medicação oral contra o câncer era uma das demandas mais antigas dos usuários de planos e dos médicos. Essas drogas funcionam como um tipo de quimioterapia, são mais modernas, causam menos efeitos colaterais e podem ser administradas em casa, evitando gastos com internações hospitalares.

IGREJA É ENCONTRADA POR AGRIGULTOR EM PLENO CERRADO DE GOIÁS.


Templo foi construído por portugueses expulsos de Goa, na Índia, em 1963. Moradores se mobilizaram para cuidar do local.

Uma descoberta em pleno cerrado está mobilizando os moradores de um pequeno vilarejo em Goiás.  E para os católicos, virou um trabalho de fé e reconstrução.
Ninguém acreditou quando um agricultor do interior de Goiás trouxe a boa nova! Entre as árvores retorcidas do cerrado, no coração do Planalto Central, ele havia encontrado uma igreja. Na mesma hora, moradores de Nova Goa, vilarejo que fica a 3 km do local, foram tirar a história a limpo.
“Para nós foi uma surpresa. Por que a gente não sabia da existência dessa igreja. Não tinha acesso, não tinha como chegar aqui de carro, nós viemos à pé”, conta a aposentada Terezinha Canedo Ramos
E voltaram correndo pra casa, pra investigar. Afinal, que igreja seria essa?
“A gente não sabia quem era a padroeira, quem tinha construído, não sabíamos nada, foi uma surpresa e uma alegria, também, de encontrar um templo lindo desse”, disse a aposentada.
Estava tudo lá, numa reportagem do jornal "O Globo", que cobriu a inauguração em dezembro de 1963. Foi construída por portugueses expulsos de Goa, na Índia. Eles pretendiam fundar ao redor da praça paroquial uma cidade para 5 mil habitantes, mas desistiram e voltaram pra Europa. E a igrejinha - se perdeu no tempo.
Os fiéis que descobriram a igreja depois de meio século de abandono tem convicção de que seria um pecado deixar tudo isso acabar em ruínas, perdidas pra sempre no meio do cerrado. Se até agora foi por milagre que esse templo ficou de pé, daqui pra frente ele passa a contar com a solidariedade e a esperança de moradores de Planaltina de Goiás, a 60 km de Brasília. Um mutirão de fé pra mudar essa história - salvar esse patrimônio artístico, cultural e, sobretudo, religioso que já estava condenado ao esquecimento.