domingo, 6 de maio de 2012

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA,DE 03 À13 DE MAIO DE 2012 EM CAMOCIM-CE

 TEMA: NOSSA SENHORA DE FÁTIMA,VIRGEM FIEL E PROMOTORA DA SAÚDE.PARÓQUIA BOM JESUS DOS NAVEGANTES,NA ÁREA MISSIONÁRIA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA CAPELA  NOSSA SENHORA DE FÁTIMA.    PROGRAMAÇÃO  DA FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA.                                                     DIA=03/05/2012-QUINTA-FEIRA.ABERTURA DA FESTA
05HS 40-ALVORADA FESTIVA (CAFÉ DA MANHÃ)
17HS 30-PROCISSÃO DE DE ABERTURA SAINDO DO COLÉGIO NATÁLIA.
18HS-TERÇO A CARGO DOS HOMENS.
19HS -HASTEAMENTO  DA BANDEIRA E CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA .
DIA=04/05/2012-SEXTA-FEIRA
18HS-TERÇO MARIANO (CARGO DO TERÇO DOS HOMENS SANTO EXPEDITO).
18H30-1° NOVENA TERÇO DAS MULHERES.
19HS-CELEBRAÇÃO.
DIA=05/05/2012-SÁBADO.
18H-TERÇO MARIANO(CARGO TERÇO DOS HOMENS DA OLINDA).
18H30-2° NOVENA TERÇO DA MULHERES
19H-CELEBRAÇÃO.
DIA=06/05/2012-DOMINGO.
18H-TERÇO MARIANO(CARGO TERÇO DOS HOMENS  DA MATRIZ).
18H30-3°NOVENA (TERÇO DAS MULHERES E DOS HOMENS).
19H-CELEBRAÇÃO.
DIA=07/05/2012-SEGUNDA-FEIRA.
18H-TERÇO MARIANO(CARGO TERÇO DOS HOMENS DE SÃO FRANCISCO).
18H30-4° NOVENA TERÇO DAS MULHERES).
19H-CELEBRAÇÃO.FONTE:camocim belo mar blog


HOSPITAL REGIONAL DE SOBRAL SERÁ INAUGURADO NO DIA 14 DE JULHO.



Hospital Regional de Sobral será inaugurado no dia 4 de julho
A data provável para inauguração do Hospital Regional de Sobral, é o dia 4 de julho. Anunciou o governador Cid Gomes, que está reunido com todo o secretariado, nesta tarde de sexta-feira (4), na Residência Oficial. Será o segundo hospital do gênero, já que o primeiro funciona na Região do Cariri. No novo hospital, que será o maior do Interior do Nordeste, com 382 leitos, as diferentes unidades ficam distribuídas numa área construída total de 54 mil metros quadrados só de área coberta. O Hospital Regional Norte vai atender a uma população de 1,5 milhão de habitantes na própria região sem necessidade de transferências para a capital. O HRN terá capacidade de realizar 60 cirurgias por dia e 1.300 hospitalizações por mês. As obras do Hospital Regional são resultado de um investimento de R$ 148.795.328,99, sendo R$ 110.509.719,99 do governo do Estado e R$ 38.285.609,00 de financiamento com o Banco Inter americano de Desenvolvimento (BID). Na aquisição de equipamentos serão investidos mais R$ 65 milhões. A maior parte dos recursos vem dos cofres do Estado, no total de R$ 45 milhões e o restante de financiamento com o BID. A Unidade de Assistência à Mulher terá 32 leitos, serviços de emergência obstétrica, mãe-canguru e ainda, como hospital de alta complexidade, terá ambulatórios para gestantes de risco. A Unidade de Pediatria contará com 20 leitos de UTI, sendo 10 pediátricos e 10 neonatais, além de outros 30 leitos de médio risco para recém-nascidos, o novo hospital, vai suprir a carência da região na assistência à criança. Além da Unidade da Mulher e da Unidade Pediátrica, no perfil de assistência o Hospital Regional Norte tem um serviço a mais em relação ao Hospital Regional do Cariri, que o Governo do Estado construiu em Juazeiro do Norte e desde maio do ano passado atende a população dos 44 municípios da macrorregião. No HRN haverá ainda assistência em psiquiatria. Por José Donato fonte - Postado por Blogger no Jornal O Correio do Norte/via Moises Arruda/camocim belo mar blog

Japão fecha último reator nuclear

Atualizado em  5 de maio, 2012 - 09:13 (Brasília) 12:13 GMT
Usina de Tomari (AFP)
O último reator a ser fechado fica na usina de Tomari, em Hokkaido
O Japão está fechando seu último reator nuclear em funcionamento neste sábado, deixando o país sem nenhuma energia atômica pela primeira vez em mais de quatro décadas.
O terceiro reator da usina de Tomari, na região de Hokkaido, é o último de mais de 50 a ter as operações suspensas para manutenção, desde que o tsunami de março de 2011 causou o desastre em Fukushima.
Até o ano passado, 30% da energia do país era nuclear, mas agora cada um dos reatores precisa passar por testes para demonstrar que eles são capazes de suportar terremotos e tsunamis.
Centenas de pessoas participaram de uma passeata pelas ruas de Tóquio para celebrar o que eles esperam que seja o fim na energia nuclear no Japão.
"Há tantas usinas nucleares, mas nenhuma funcionará hoje, graças a nossos esforços", disse o ativista Masashi Ishikawa à multidão.

'Falta de energia'

O governo japonês vem fazendo alertas de que o país enfrentará falta de energia durante o verão e defende a reabertura de reatores que já passaram pelos testes e foram considerados seguros - como dois reatores na usina de Ohi, no oeste do Japão.
Passeata contra enegria nuclear (AFP)
Centenas de pessoas participaram de passeata, em Tóquio, contra energia nuclear
Para que isso aconteça, é necessária a permissão das autoridades locais e ela ainda não foi concedida.
Empresas já foram avisadas de que pode haver consequências para a indústria, caso nenhuma usina nuclear volte a funcionar.
O correspondente da BBC em Tóquio Roland Buerk diz que o governo pode fazer pressão pela reabertura, mas vem se mostrando relutante em ir contra a opinião pública.

Combustíveis fósseis

Para suprir a demanda por energia, o Japão vem aumentando a importação de combustíveis fósseis e companhias de eletricidade estão colocando antigas usinas de energia em funcionamento.
Se o país conseguir passar pelo calor do verão sem apagões, analistas dizem que aumentará ainda mais a pressão pelo fim permanente do uso de energia nuclear.
Ao redor de Fukushima, usina que foi seriamente danificada pelo terremoto e tsunami de 2011, uma zona de exclusão de 20 quilômetros continua em vigor.
Explosões aconteceram em quatro dos seis reatores depois dos desastres naturais, devido a uma falha no sistema de resfriamento, o que levou a vazamentos radioativos e à evacuação forçada de milhares de pessoas.fonte BBC Brasil/bcamocim belo mar blog

CHEIA EM RIOS DO AMAZONAS AINDA PREOCUPA E PREFEITURAS PEDEM AUXÍLIO.



Brasília - Cidades amazonenses afetadas pelas cheias dos rios que cortam o estado tentam reparar os estragos e auxiliar a população enquanto aguardam a ajuda financeira dos governos estadual e federal. Até a última sexta-feira (4), 32 municípios já haviam decretado situação de emergência e a Defesa Civil do Amazonas calculava que já chegava a 74 mil o número de famílias atingidas em todo o estado. Embora o nível dos rios tenha começado a baixar, no interior ainda há localidades praticamente submersas. A previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe), é mais chuva forte para as regiões centro-norte e leste do estado.
Uma destas localidades é Benjamim Constant, na região oeste do estado. De acordo com a Defesa Civil municipal, cerca de 9 mil pessoas foram afetadas pelas águas desde meados de março. Segundo a coordenadora do órgão, Gleissimar Campelo Castelo Branco, embora o nível dos rios Solimões e Javari, que banham a cidade, tenha começado a baixar nos últimos dias, boa parte do município continua alagada e a cidade permanece em situação de emergência.
“Benjamim se transformou em uma Veneza”, disse a coordenadora à Agência Brasil, referindo-se à cidade italiana cortada por canais onde gôndolas servem de meio de transporte. De acordo com Gleissimar, o nível do Rio Solimões chegou a atingir 13,74 metros, apenas 9 centímetros a menos que a marca histórica registrada durante a cheia de 1999. Já o Javari, de acordo com muitos moradores, diz a coordenadora, atingiu o maior nível de todos os tempos.
Algumas comunidades agroextrativistas instaladas em ilhas do Solimões, como a do Aramaça, perderam toda a produção. A prefeitura reforçou a limpeza das ruas e distribuiu alimentos, medicamentos e madeira para que os moradores de áreas alagadas que não corriam riscos elevassem a altura dos assoalhos das casas. “Agora precisamos de maior apoio financeiro do governo estadual para custear as despesas que o município contraiu e com que, sozinho, não conseguirá arcar”, concluiu a coordenadora.
Já em Parintins, a cerca de 370 quilômetros da capital, o nível do Rio Amazonas subiu mais de 9 metros, alagando um grande número de ruas em bairros como Emílio Moreira, São José Operário, Beco Submarino, Santa Rita e Francesa. Desde a semana passada, agentes comunitários de saúde estão visitando as áreas afetadas para alertar a população sobre o risco de doenças transmitidas pela água contaminada e os cuidados com a saúde. Em seu site, a prefeitura informa não ter condições de atender, sozinha, às necessidades das quase 1,5 mil famílias que vivem em áreas alagadas. O prefeito Bi Garcia deve viajar a Manaus nesta quarta-feira (9), para pedir ao governador Omar Aziz a ajuda estadual.
Coordenador da Regional da Defesa Civil do Alto Solimões e responsável por sete cidades da região (Tabatinga, Atalaia do Norte, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Tonantins e Benjamim Constant), Gildásio Araújo da Silva diz que há entre 200 e 300 famílias vivendo em abrigos, cerca de 120 recebendo o benefício do aluguel social e várias outras abrigadas nas casas de parentes e amigos. De acordo com ele, desde que o nível dos rios chegou ao ponto de causar transtornos à população, o governo estadual vem procurando auxiliar as prefeituras. A primeira preocupação, além da retirada da população das áreas afetadas, foi atender os doentes, já que o número de enfermos aumentou a ponto de exigir campanhas que desafogassem os casos de maior urgência. Segundo Gildásio, 2,5 mil cestas básicas e um grande número dekits de medicamentos e de produtos de higiene foi distribuído.
Ao visitar bairros alagados de Manaus, o governador Omar Aziz anunciou que o governo estadual vai distribuir R$ 400 a pelo menos 50 mil famílias afetadas pelas cheias por meio do cartão Amazonas Solidário. De acordo com nota divulgada no site do governo amazonense, 10 mil cartões já foram entregues em mais de sete cidades localizadas na calha do Rio Juruá e Boca do Acre.
No total, a iniciativa exigirá um investimento de R$ 20 milhões. Segundo o site do governo amazonense, R$ 4 milhões dos cofres estaduais já foram disponibilizados e o Ministério da Integração Nacional anunciou o aporte de mais R$ 8 milhões para a ação, recursos ainda não liberados pelo Banco do Brasil.
Edição: Juliana Andrade/camocim belo mar blog

MARIDO TIRA FOTOS ENQUANTO MULHER ERA ATACADA POR GUEPARDOS EM PARQUE.



Britânica Violet D’Mello foi atacada na África do Sul.
Marido disse que não percebeu o que estava acontecendo.


A turista britânica Violet D’Mello foi atacada no dia 28 de abril por dois guepardos considerados "mansos" em um parque safári em Port Elizabeth, na África do Sul, segundo os jornais ingleses "The Sun" e "Daily Mail".

Violet D’Mello foi atacada por dois guepardos em parque na África do Sul. (Foto: Archibald D'Mello/AP)Violet D’Mello foi atacada por dois guepardos em parque na África do Sul. (Foto: Archibald D'Mello/AP)
Os guepardos derrubaram a mulher no chão e morderam suas pernas e cabeça. Ela tinha viajado com o marido para comemorar seu 60º aniversário.
"Eu nunca imaginei que iriam me atacar porque sou adulta", disse Violet, sobre o ataque que durou cerca de três minutos.
Em vez de ajudar a mulher, o marido Archibald ficou tirando fotos do ataque. Ele disse que não percebeu o que estava acontecendo.
Marido disse que não percebeu o que estava acontecendo. (Foto: Archibald D'Mello/AP)Marido disse que não percebeu o que estava acontecendo. (Foto: Archibald D'Mello/AP).fonte AP/camocim belo mar blog