sábado, 10 de março de 2012

PRESIENTE DE AUTARQUIA EM FORTALEZA NÃO REPRESENTA PMDB, DIZ SENADOR.

Presidente da AMC, Fernando Bezerra, fazia parte da cota do PMDB.
Senador Eunício diz que não está insatisfeito com gestão de Luizianne.

Do G1 CE
O senador Eunício Oliveira (PMDB), presidente do PMDB no Ceará, afirmou nesta sexta-feira (9) que o presidente da Autarquia Municipal de Transito, Serviços Públicos, Cidadania de Fortaleza (AMC), Fernando Bezerra, não representa mais o PMDB, apesar de ter sido indicado pelo partido para ocupar o cargo na prefeitura. No entanto, Eunício negou que isso represente um rompimento com a prefeita de Fortaleza e presidente do PT no Ceará, Luizianne Lins. "Não seria adequado fazer um rompimento por um deputado em um discurso na Assembleia. Seria deselegante. A questão política independe da questão administrativa", explicou ele, que acrescentou: "Ninguém vai pagar a conta que não é do partido".
Além disso, Eunício afirmou ainda que não está insatisfeito com a administração de Luizianne Lins em Fortaleza. "A prefeita ligou para mim para tratar de assuntos políticos, terça-feira (13) ou quarta-feira (14), em Brasília", afirmou. Ele disse que ainda não sabe o teor da conversa, mas que Luizianne pediu para conversar com ele sobre a aliança política na capital cearense para estas eleições. O senador afirmou ainda que já conversou com o governador Cid Gomes (PSB) nesta quarta-feira (7) em Brasília."Não existe plano B, enquanto tiver plano A. Nossa intenção é manutenção do plano A com todos os aliados. Temos mil alternativas para o município de Fortaleza", apostou.
Críticas na Assembleia
Esta semana, o deputado Carlomano Marques (PMDB) criticou Fernando Bezerra e a licitação da AMC, no valor de R$ 138 milhões, para a iluminação pública de Fortaleza, questionada pelo Ministério Público. Disse que o partido não tinha responsabilidade pelos problemas apontados pelo MP e que o partido havia rompido com a administração municipal. Marques afirmou ainda que falava em nome de Euníco Oliveira.
Embora negue que o deputado tenha falado em seu nome, Eunício disse que toda a manifestação interna do partido pode não ser a definição, mas tem peso. "Um deputado do partido que se manifesta tem que ser dada atenção", afirmou.
O senador justificou ainda que Carlomano apenas disse que o PMDB não pode se responsabilizar pelo que é feito na AMC, que não é mais da representação do PMDB. "O Fernando Bezerra é uma pessoa que agradou mais lá do que aqui, e ficou. O PMDB não está incomodado com isso. Não prejudica em nada, nem a relação. A política pra mim não é participação, é projeto", ponderou.
Segundo o senador, Fernando Bezerra foi decidido em um cafe da manhã numa decisão pós-eleição, em que a prefeitura concedeu duas secretarias ao PMDB. "E, por decisao do diretoria municipal, o Fernando Bezerra não mais representava o PMDB no municipio. Ele foi mantido na AMC e passou a ser cota do município, o que é legítimo".FONTE AMC/CAMOCIM BELO MAR BLOG

O STF DERRUBAOU LEI DELEGADA CRIADA AÉCIO EM MG.

O Supremo Tribunal Federal derrubou a Lei Delegada 112/2007 do governo tucano. A mesma subordinava a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais à Secretaria de Defesa Social, contrariando de forma flagrante o artigo 134 da Constituição Federal, o qual garante autonomia administrativa e financeira àquela instância.
Algum tucano poderá dizer: “mas essa decisão é inócua, pois uma lei complementar de 2009 corrigiu o erro.” Vamos lá então:
1) À época do decreto assinado por Aécio Neves, os deputados de oposição do PT, PCdoB e dois do PMDB questionaram a constitucionalidade da mesma. Lideranças da categoria também. Por que o governo não deu ouvidos? Por que Aécio insistiu em desrespeitar flagrantemente a Constituição Federal? Afinal, ele não o gestor probo e competente, “vendido” aos quatro ventos como defensor da legalidade e da Constituição?