quinta-feira, 23 de agosto de 2012

PARANÁ TERÁ DUAS FÁBRICAS DE EQUIPAMENTOS EÓLICOS.






As indústrias Flessak Energia Eólica (Feel), de Francisco Beltrão, e a Global Blade Technology (GBT), com sede na Holanda, assinaram nesta quarta-feira (22) termo de cooperação para a fabricação de equipamentos para geração de energia eólica. Com investimento inicial de US$ 50 milhões, serão construídas duas fábricas: uma de turbinas eólicas em Francisco Beltrão, Sudoeste do Estado, e outra, de pás para turbinas, em Toledo, no Oeste. 

O documento foi assinado também pelo governador Beto Richa, no Palácio Iguaçu. "Mais uma empresaacredita no novo momento do Paraná. Esse empreendimento está alinhado com o novo ciclo paranaense de desenvolvimento pela via da industrialização. Investimentos em energias renováveis são bem-vindos ao Paraná", declarou Richa. 

O presidente da Feel, Pedro Antônio Furlan, explica que a empresa paranaense será a única no País a dominar todo o processo tecnológico na produção de turbinas eólicas. "Isso representa um importantepasso para nacionalizar a produção, hoje dependente da importação de componentes", explicou Furlan. 

O governador disse que o compromisso de seu governo é investir na industrialização do interior e destacou que o investimento em energia eólica é fundamental para a geração de riquezas e empregos e para a promoção do desenvolvimento sustentável. A estimativa dos empresários é que sejam produzidas na nova fábrica cerca de 150 turbinas por ano a partir do segundo semestre de 2013, com faturamento aproximado de US$ 240 milhões. Serão criados cerca de 300 empregos.

Programa

Richa apresentou aos empresários o programa Paraná Competitivo, que prevê incentivos fiscais e tributários para investimentos no Estado. O programa já assegurou investimentos de R$ 18 bilhões e a criação de 85 mil empregos no Paraná. "O Paraná Competitivo tem resgatado a confiança do setor produtivo, que se sente mais seguro para investir com um governo estável e com segurança jurídica", disse Richa. 

Como o segmento de energia eólica é isento de tributos, de acordo com legislação federal, o investimento da Feel não foi contemplado pelo programa Paraná Competitivo. De acordo com o diretor da GBT, Arthur Schuler da Igreja, com a instalação das fábricas em Beltrão e Toledo, novas empresas serão atraídas para a região em atividades de transporte, monitoramento e montagem. "Vamos buscar os incentivos do Paraná Competitivo para atrair esses investimentos. É um programa interessante e que tem bons resultados", disse.

Tecnologia

O projeto estimula a inovação tecnológica em energia eólica no Brasil, pois o contrato entre as duas empresas prevê a transferência de tecnologia pela holandesa GBT. A Companhia de Energia de Elétrica do Paraná (Copel) pretende apoiar o investimento para a expansão do sistema eólico no Paraná.

As duas empresas pretendem transformar o empreendimento em referência nacional na indústria global de equipamentos eólicos. Trata-se de um investimento em energia alternativa renovável que aproveita as características físicas do Estado, especialmente porque as turbinas serão adaptadas aos ventos da região.

A assinatura do documento foi acompanhada pelos deputados estaduais Duílio Genari e Ademar Traiano, líder do governo na Assembleia Legislativa.fonte:bonde news/camocim belo mar blog

IMAGENS DO DIA 23 DE AGOSTO DE 2012.


    fonte:g1 sp/camocim belo mar blog

LUCIANO RECLAMA DE CRIANÇA,QUEBRA BRINQUEDO E É VAIADO PELO O PÚBLICO DE SEU SHOW.


O cantor Luciano, da dupla Zezé Di Camargo e Luciano foi vaiado em um show em Linhares, Espírito Santo, no último domingo (19). De acordo com o jornal Extra, tudo começou quando Luciano se irritou com uma criança que estava na plateia e iluminava o palco com uma luz azul. Bastante alterado, o sertanejo repreendeu o pai do menino aos berros: "O irresponsável é você, o pai! Vou pedir para todo mundo te vaiar", disse ele.
Após a bronca, o cantor pediu para que seguranças retirassem o brinquedo da criança. Os fãs se revoltaram com Luciano e começaram a vaiá-lo. Porém, o sertanejo não se abalou, debochou da situação e ainda quebrou o brinquedo ao meio durante a performance. Zezé teria ficado bastante constrangido com a situação e tentou acalmar os ânimos. "O Luciano se exaltou um pouco, mas essa lanterna atrapalha mesmo a gente", comentou.fonte:bonde news/camocim belo mar blo
g