domingo, 8 de abril de 2012

CEARÁ GOLEIA O CRATO E MOSTRA FORÇA PARA A RETA FINAL DO ESTADUAL.A


Vovô fez 4 a 2 no Azulão da Princesa, mesmo com um jogador a menos. Com oito vitórias seguidas, time segue invicto com PC Gusmão

Por GLOBOESPORTE.COMCrato, CE

 O Ceará de PC Gusmão parece imbatível. O Alvinegro derrotou mais um adversário neste Campeonato Cearense. O Vovô foi até o Mirandão e aplicou goleada de 4 a 2 sobre o Crato. Foi a oitava vitória consecutiva do Ceará, que alcançou os 51 pontos e segue líder invicto.
Os gols do Ceará saíram dos pés de Mota, Felipe Azevedo, Reina e Romário. Pelo lado do Crato, marcaram Djalma e Paulão.
A derrota deixou o Crato com os mesmos 34 pontos, ainda um ponto atrás do Tiradentes, que joga nesta segunda-feira contra o Crateús. O Azulão precisa que o Tigre perca o jogo para que ainda continue com possibilidades matemáticas de ir às semifinais.
Na próxima rodada - a últmia da fase classificatória -, o Ceará encara o Tiradentes no Presidente Vargas. O Crato joga no Domingão contra o Horizonte. As duas partidas acontecem no próximo domingo.
Jogo cheio de oportunidades
O jogo foi bonito e bem disputado. Desde o início, as duas equipes buscaram se impôr na partida e fizeram um 1º tempo bastante corrido, com oportunidades claras de gol para ambos os lados.
Logo aos 5 minutos, Reina fez uma bela jogada, deixou três jogadores para trás e chutou fraquinho, mas já assustou o goleiro Mondragon. O Crato descontou o susto com Vítor Cearense. Em cobrança de falta, aos 19 minutos, ele acertou o travessão de Fernando Henrique.
Aos 25 minutos, o Ceará também meteu bola na trave. Éverton acertou um foguete de fora da área e quase abriu o placar no Mirandão. Com a mesma força chegou o Crato. Jéfferson Maranhense, aos 28 minutos, aproveitou cruzamento de Tiago Silva e mandou uma bomba da pequena área. Fernando Henrique salvou o Alvinegro.
Com tantos lances bons na partida, os gols saíram em sequência no 1º tempo. Aos 34 minutos, Mota acertou um chute de fora da área no ângulo direito de Mondragon. Um golaço para abrir o placar no Mirandão.
O segundo gol alvinegro saiu logo em seguida. Aos 38 minutos, Felipe Azevedo recebeu lançamento em profundidade, encobriu o zagueiro e mandou para o fundo do gol de Mondragon.
Aos 39 minutos, o Ceará perdeu um jogador. O volante Régis, em um lance polêmico, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Na falta que originou o cartão, Djalma cobrou forte e acertou o cantinho do goleiro Fernando Henrique., diminuindo o placar.
No 2º tempo, as duas equipes deixaram logo claro como seriam suas posturas no restante do jogo. Enquanto o Crato pressionava buscando o gol de empate, o Ceará apostaria nos contra-ataques.
Aos 3 minutos, Paulão recebeu livre na área, mas perdeu a chance do empate. Assim como, aos 16 minutos, o atacante teve outra oportunidade dentro da pequena área e desperdiçou.
Aos 20 minutos, o primeiro bom contra-ataque alvinegro. Márcio Careca construiu toda a jogada, deu drible da vaca no zagueiro do Azulão e chutou encobrindo o goleiro Mondragon, mas a bola acabou indo para as redes pelo lado de fora.
Mas, no segundo contra-ataque, aos 25 minutos, Éverton foi fazendo toda a jogada e apenas tocou para o colombiano Reina marcar, em um chute forte dentro da área, fazendo o terceiro do Vovô.
Aos 32 minutos, mais um contra-ataque fulminante do Ceará. Rogerinho passou para Reina, que deixou Romário livre, livre para ampliar o marcador.
O Crato conseguiu ainda, aos 37, diminuir a diferença no placar. Denílson trabalhou a bola e rolou para Paulão fazer o segundo do Azulão e fechar o placar no Mirandão.
Crato x Ceará campeonato cearense (Foto: Normando Sorácles/ Ag. Miséria de Comunicação)Romário fecha a partida com o quarto gol do Ceará (Foto: Normando Sorácles/ Ag. Miséria de Comunicação).fonte G1 CE/camocim belo mar blog

INCONFORMADO COM SEPARAÇÃO, HOMEM MATA A COMPANHEIRA COM 18 FACAS E DEPOIS TENTA O SUICÍDIO.



Mais um crime passional contra mulheres no Ceará. No início da noite deste sábado (7), Ana Célia Farias, 29, foi assassinada com pelo menos 18 facadas, segundo informações divulgadas pela Polícia Militar. O crime aconteceu emAmontada, no Litoral Oeste do Estado, a 157 quilômetros de Fortaleza. O acusado vivia com a vítima.
De acordo com o Comando de Policiamento do Interior(CPI), o companheiro de Ana Célia, Sílvio José do Nascimento, 33, não aceitava o fim do relaciomento do casal.


Inconformado com a situação, ele teria esfaqueado a mulher até a morte e, logo após o crime, ele tentado se matar com uma perfuração na garganta. O acusado, no entanto, sobreviveu e foi encaminhado ao Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza.(foto ilustrativa)

Fonte: Jangadeiro
CAMOCIM POLÍCIA 24hs/camocim belo mar blog

AS MOTOS MAIS LINDAS,

 
Best Riders
Foto AnteriorPróxima Foto 
A moto é invocada, tem personalidade forte e anda muito. Percebi quando acelerei na estrada. É uma H-D, no sentido mais amplo da palavra. É uma H-D comemor...
Foto 1 de 9

A moto é invocada, tem personalidade forte e anda muito. Percebi quando acelerei na estrada. É uma H-D, no sentido mais amplo da palavra. É uma H-D comemorativa, o que a faz mais ainda uma H-D. Veja mai.fonte R7/camocim belo mar blog

SISTEMA TRATA E REAPROVEITA ÁGUA DO ESGOTOPARA CULTIVAR ALIMENTOS NO CEARÁ.



O novo sistema é chamado de "fossa verde".
Segundo o IBGE, 7% das casas em áreas rurais no Ceará têm saneamento.

Do G1 CE, com informações da TV Verdes Mares
Um projeto desenvolvido em um assentamento no município de Madalena, a 190 km de Fortaleza, está mudando a vida dos agricultores região. A água do esgoto está sendo tratada e reaproveitada para o cultivo de alimentos sem risco pra saúde das pessoas.

O sistema, chamado "fossa verde", é uma parceria do Governo Federal com Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Universidade Estadual do Ceará (Uece). "É [um projeto] extremamente viável para o semiárido porque a água que se utiliza sempre estará disponível, inclusive nos anos de seca", garante o engenheiro agrícola José Carlos de Araújo.
Antes, era despejada a céu aberto ou depositada em fossas comuns, as valas da "fossa verde" valas são de alvenaria e impermeabilizadas. Com isso, impedem o contato dos dejetos com o solo e são cobertas com terra, que absorve os nutrientes da parte líquida do esgoto.
"Essa água dos banheiros não vai contaminar o lençol freático. Tem uma repercussão na diminuição de diarreia, de hepatites e doenças que estão ligadas à contaminação pela água", avalia Ana Ecilda Lima, orientadora do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).
Além de evitar que o esgoto seja despejado no meio ambiente, a fossa, que recebe água o tempo todo, tem servido como um canteiro de cultivo para as famílias. Elas passaram a ter, no quintal de casa, árvores frutíferas que produzem o ano inteiro. "Contanto que você zele, cultive, ela vinga bem”, afirma o agricultor Jaderson Lima Mendonça.
Os alimentos produzidos na “fossa verde” foram analisados pela UFC e não apresentaram contaminação pelo esgoto. "É uma tecnologia segura do ponto de vista alimentar, de contaminação via alimento", diz Araújo.

As fossas custam, no máximo, R$ 450 e já beneficiaram quase 600 famílias. A instalação é financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). Os pesquisadores estimam que, a cada quatro anos, seja necessário remover a terra das fossas verdes para retirar a parte sólida do esgoto que estiver acumulada.fonte G1 CE/camocim belo mar blog

GOLPE NO FACEBOOK ATINGE GHROME, FIREFOX E 60 MIL BRASILEIROS.



Extensão prometia créditos gratuitos para o celular e já foi apagada, mas precisou de apenas cinco dias para espalhar-se pela rede social.
 
Durou apenas cinco dias, mas um golpe feito por brasileiros para brasileiros atingiu milhares de usuários no Facebook. Atraídos por uma promessa pouco crível – créditos gratuitos no celular – mais de 60 mil curtiram a página criada para disseminar o malware. O problema não estava na página em si, mas no aplicativo contido nela. Ao selecioná-lo, o internauta era direcionado a um endereço onde podia instalá-lo. Abaixo, visualizava um cadastro com espaços para inserir o número do celular e sua operadora.
Quando contaminado, o perfil do usuário passava a compartilhar o mesmo comentário – cheio de erros ortográficos – em todas as publicações visualizadas, convidando outras pessoas a também visitarem a página e executarem o programa. Para convencê-las, a isca já utilizada: créditos no celular.
Extensão prometia créditos gratuitos para o celular e já foi apagada, mas precisou de apenas cinco dias para espalhar-se pela rede social.
Durou apenas cinco dias, mas um golpe feito por brasileiros para brasileiros atingiu milhares de usuários no Facebook. Atraídos por uma promessa pouco crível – créditos gratuitos no celular – mais de 60 mil curtiram a página criada para disseminar o malware.
O problema não estava na página em si, mas no aplicativo contido nela. Ao selecioná-lo, o internauta era direcionado a um endereço onde podia instalá-lo. Abaixo, visualizava um cadastro com espaços para inserir o número do celular e sua operadora.
Quando contaminado, o perfil do usuário passava a compartilhar o mesmo comentário – cheio de erros ortográficos – em todas as publicações visualizadas, convidando outras pessoas a também visitarem a página e executarem o programa. Para convencê-las, a isca já utilizada: créditos no celular.
A principal novidade, destacada pelo portal Linha Defensiva, é que o golpe funcionava apenas nos navegadores Chrome e Firefox – tanto é que, para se livrar da praga, bastava apagá-la no menu de extensões. Isso mostra que, graças à popularidade dos dois softwares no Brasil, os cibercriminosos passaram a tê-los como alvo.
É de se pensar que vantagem financeira os responsáveis ganham com esse tipo de artimanha. É possível que vendam os números de telefone obtidos, já que essa é uma informação que muitos spammers buscam, ou que recebam a cada “curtir” entregue a determinada página (pay-per-like), pois pelo complemento podem controlar também essa interação.
Recentemente, dois portais brasileiros que ofereciam milhares de “curtir” em troca de compensação monetária foram fechados. Aparentemente, ambos, o PublicidadesOnline.com e o PublicidadesOnline.net, pertenciam ao mesmo dono. Talvez não seja coincidência, portanto, que, das poucas mensagens compartilhadas pela página do malware, três propagandeavam a Humor Garantido, que em seis meses conseguiu mais de um milhão de fãs.
Fica a dica, então. Embora o Facebook tenha removido muitos dos golpes - “Mude a cor do seu perfil”, “Descubra quem te visitou”, “Coloque créditos grátis” – alguns continuam no ar e outros podem voltar. Não confie em aplicativos que sejam elogiados em inúmeras publicações e sempre com o mesmo texto. Essa publicidade não é gratuita, tampouco espontânea.
Fonte: Uol/camocim belo mar blog
 

VENDA DE AVIÃO PRIVADOS CRESCE NO PAÍS MIRANDO NOVO TIPO DE PÚBLICO.



Número de aviões privados saltou 32% em 5 anos no país, segundo Anac.
Monomotores são vendidos por até R$ 200 mil; jatos chegam a R$ 5 milhões.

T
Comente agora
Aos 40 anos, Carlos Kallas está fechando a compra do seu primeiro avião. O servidor público de Uberlândia (MG) tenta convencer a mulher – que tem medo de voar em aviões pequenos – que um Corisco, da Embraer, será uma boa aquisição para a família.
“Vou fazer uso esporádico, só para pequenas viagens com a família para outros estados, pois tenho parentes no Paraná e em São Paulo e também para deslocamento para Belo Horizonte e outras cidades mineiras”, conta Kallas, que pretende contar com recursos de negócios da mulher e da família para a aquisição do bem.
Ele engrossa o grupo de novo tipo de clientela, como integrantes da classe média-alta, profissionais liberais liberais e servidores públicos, que estão adquirindo seu próprio avião. Em quatro anos, o número de aeronaves particulares saltou 32% no país, passando de 6.472 em 2007 para 8.542 em 2011, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), movimentando o mercado de novos e usados.
aviação aviao (Foto: Arquivo Pessoal)Empresário Othon Ribeiro deixou de enfrentar filas em aeroportos ao adquirir sua aeronave pessoal (Foto: Arquivo Pessoal)
Nos últimos dois anos, o crescimento anual desse mercado chegou a mais de 9%, e ter sua própria aeronave deixou de ser uma exclusividade dos muito ricos.
A procura tem crescido principalmente entre profissionais liberais, como o médico capixaba Antonio Zelio de Almeida, de 67 anos – que importou dos Estados Unidos, em janeiro deste ano, um Cessna Skylander seminovo para poder se deslocar para cidades do interior doEspírito Santo, onde mantém consultório. Com custos de translado e nacionalização, a aeronave saiu por mais de R$ 280 mil, segundo ele.
“Eu gosto de voar. No início era só hobby, mas percebi a necessidade, devido à demora nos deslocamentos. De Vitória para pequenas cidades, como Alfredo Chaves, onde eu tenho consultório, levava 6 horas de carro. De avião dá apenas uma”, conta.
Sem dúvida foi um bom investimento. Ter o próprio avião foi uma facilidade"
Othon Ribeiro, empresário
“Notamos uma procura crescente por parte de advogados, médicos, consultores. É um tipo de profissional que alcançou um nível em que seus serviços estão espalhados e é necessário um deslocamento rápido para lugares que nem sempre contam com aviação regular”, diz Leonardo Fiuza, diretor comercial da TAM Aviação Executiva, representante da Cessna no Brasil.
“O mercado brasileiro amadureceu, percebendo que um avião privado não é mais para ostentação, mas uma necessidade, uma ferramenta de trabalho”, destaca Philipe Figueiredo, diretor de vendas da Líder Aviação, revendedora da Beechcraft.
A economia de tempo também justificou a compra no ano passado, pelo empresário paulista Othon Cesar Ribeiro, de um Cessna 206. Ele reclama das horas que perdia em aeroportos e da dependência dos horários dos voos comerciais para realizar as viagens e conseguir retornar para Jundiaí para ver a família. Gostou tanto que já renovou o modelo usado várias vezes desde a primeira aquisição.
“Eu precisava me deslocar para algumas cidades muitas vezes à noite, tendo que esperar quase o dia inteiro em um local, para conseguir estar em um compromisso no horário determinado e que era muito mais tarde. Também gastava horas no aeroporto e perdia muito tempo em deslocamento de carro, quando já podia estar no meu escritório, dando andamento ao trabalho”, afirma.
“Sem dúvida foi um bom investimento que eu fiz. Ter o próprio avião foi uma facilidade”, desabafa.

“Temos recebido muita demanda de clientes que buscam a primeira máquina para que possam fazer tudo o que tem de obrigações do trabalho durante a semana e visitar a família, ou fazer pequenas viagens, nos fins de semana”, diz José Eduardo Brandão, da Synerjet (ex-Ocean Air), revendedora no país da Bombardier, Augusta Westland e Pilatus.
helimarte (Foto: Tahiane Stochero/G1)Hangar alugado para jatos executivos está sempre
lotado no Campo de Marte, em São Paulo
(Foto: Tahiane Stochero/G1)
Custo
Mesmo indo além do nicho dos muito ricos, ter um avião particular, no entanto, ainda não é para todos. Atualmente, é possível comprar um monomotor seminovo com cerca de R$ 500 mil – modelos da década de 1980 saem por até R$ 200 mil.
Já os jatos custam mais caro, passando dos US$ 4 milhões (R$ 7,3 milhões), e têm que ser importados por representantes credenciados pela fabricante. Ao final de 2010, o Brasil tinha 540 jatos executivos (4% da frota nacional), conforme a Associação Brasileira de Aviação Geral. Em 2011, o número saltou para 630.
O preço de uma aeronave varia conforme o ano de fabricação, quantidade de horas de voo e situação dos componentes. Se o uso não é continuo, um monomotor (como os Cessna, Beechcraft Bonanza e Embraer Corisco) pode ser a opção. Com velocidades entre 380 km/h e 600 km/h e autonomia de voo que chega a 4 horas e 30 minutos, estão disponíveis no mercado nacional por entre R$ 200 mil a R$ 800 mil, dependendo do ano de fabricação.
Já os bimotores (como Baron, Seneca e alguns modelos da Cessna) podem ser encontrados por desde R$ 360 mil até R$ 1,8 milhão. Possuem sistemas mais complexos e são mais flexíveis para viagens noturnas ou sobrevoo com segurança sobre regiões distantes.
Os mais vendidos*
Monomotores (novos)
Cessna SkycatcherR$ 273.700 mil
Cessna SkyhawkR$ 519.800
Cessna Skylane (182T)R$ 726.900
Beechcraft BonanzaR$ 1.479.000
Jatos (novos)
CaravanR$ 3,5 milhões a
R$ 4,14 milhões
Citation MustangR$ 5,6 milhões
Citation M2R$ 7,67 milhões
Beechcraft King AirR$ 6,94 milhões
Embraer Phenom 100R$ 4,48 milhões
Embraer LegacyUS$ 54,8 milhões
Monomotores (seminovos)
TupiR$ 200 mil
CoriscoR$ 245 mil
BonanzaR$ 350 mil
SenecaR$ 913 mil a
R$ 1,5 milhão
BaronR$ 1,5 milhão
Cessna SkylaneR$ 690 mil
Jatos (seminovos)
Citation MustangR$ 4,56 milhões
* Preços repassados pelos fabricantes e revendedoras de usados. O valor dos seminovos varia conforme ano de fabricação, quantidade de horas de uso e conservação
 Na categoria dos jatos, o Learjet (da Bombardier), o Phenom 100 e o Legacy (da Embraer), o Citation Mustang e o Citation XLS (da Cessna) e o King Air (da Beechcraft) estão entre os mais adquiridos no país. São os preferidos por cantores e empresários devido à comodidade, maior número de assentos e autonomia que pode chegar a 19 horas de voo. Os preços variam entre US$ 3,6 milhões a US$ 30 milhões (R$ 6,59 milhões a R$ 54,6 milhões).
Com os altos custos, muitos optam por comprar um usado. Segundo Fiúza, da TAM, após a crise econômica mundial de 2008, o preço de seminovos caiu muito. Com um ano de uso, o avião pode custar 20% menos que um novo do mesmo modelo.
“Às vezes, optar por um que já foi usado aqui no país compensa”, diz o comerciante Kallas. “Eu consigo comprar aqui um Corisco por R$ 200 mil e o custo-benefício compensa. Ele não consome muito combustível e a manutenção também é pequena”.
Isso porque, além do preço da aeronave, é preciso levar em conta os gastos para mantê-la. “A escolha de qual aeronave você irá comprar depende de quanto você terá disponível para mantê-la e para quais necessidades irá usá-la”, afirma Fiuza.
Um jato novo de R$ 5 milhões exigirá um custo operacional fixo mensal de R$ 30 mil - despesas com piloto, gasolina, hangar. Já um monomotor seminovo de R$ 200 mil pode ser mantido em um hangar alugado por R$ 500 mensais e com manutenção a cada 200 horas de voo, que fica em R$ 2 mil cada.
Avião compartilhado
O arquiteto Nilton Carlos Chieppe, de 68 anos, presidente do Grupo Águia Branca no Espírito Santo, reduziu os custos dividindo a propriedade do monomotor Cessna Skylane 182, comprado em 2011. Ele divide, com o sócio, os custos do hangar e do piloto particular.
“Nunca deu problema em ter o avião compartilhado. Meu sócio pergunta se eu vou voar em tal data, se não vou, ele usa. Raramente dá algum confronto de datas e isso reduz o nosso custo. Os dois usam, não há conflito, funciona muito bem”, explica.
“A compra compartilhada pode ser uma opção inicial também quando alguém quer testar um avião ou verificar se ele atende seus objetivos para depois adquirir o seu próprio", explica Philipe Figueiredo, da Líder Aviação, representante dos jatos King Air e das marcas Bonanza e Baron no Brasil.
Compra da aeronave
A primeira recomendação dada por especialistas para quem deseja adquirir uma aeronave é procurar os revendedores oficiais ou empresas especializadas em consultoria, que poderão ajudá-lo a escolher o melhor modelo para suas necessidades. Uma das opções é comprar um novo direto da fábrica ou importar um seminovo dos Estados Unidos.
Alguns clientes preferem verificar pessoalmente a aeronave antes de importá-la, outros fecham o negócio após empresas credenciadas pela fabricante inspecioná-los nos Estados Unidos.
Custos fixos na operação de aeronaves
Hangar  - Preço varia conforme a cidade e a empresa. Em Vitória (ES), a mensalidade para um monomotor é de R$ 500. No Campo de Marte (SP), a mensalidade para jato é de R$ 18 mil e para monomotor, R$ 3 mil.
Gasolina - Monomotor com tanque para capacidade de 400 litros consome de 18 a 70 litros por hora. Um Corisco, por exemplo, consome 40 l/h voando a 240 km/h. Já um jato como o Skyland, consome 45 litros por hora e chega a velocidade de 260 km/h.
Manutenção - revisão da aeronave após 50 horas de voo, 200 horas de voo e anual. Cada uma delas fica em torno de R$ 2.500.
Seguro obrigatório (anual) -R$ 695.
Piloto - Hora de voo: R$ 150/hora (mínimo) para monomotor. Mensal: R$ 5 mil. Piloto de jato: R$ 10 mil a R$ 18 mil (mensal).
 Após a empresa idônea certificar a qualidade da aeronave há o fechamento da compra e o pagamento. O avião vem voando para o Brasil – com prefixo e piloto norte-americano. Mas, depois de pousar, não pode voltar a decolar sem que haja o desembaraço na Receita Federal e a regularização com a Anac.

Nesse processo, que dura até 45 dias, os maiores custos são com translado, impostos e com a nacionalização do modelo em uma oficina, para atender aos requisitos de aeronavegabilidade nacionais.
Fiuza, da TAM, estima que 25% do valor da aeronave será necessário para importá-lo - no caso de um monomotor Cessna, por exemplo.

Já Figueiredo, da Líder, disse ser necessário pelo menos 19% sob o valor para importar um monomotor Bonanza ou um jato King Air.
Já Phillip Costa, da AviõesNet, que trabalha com importação e venda de novos e usados no país, cota em 38% os custos para importar e nacionalizar um monomotor americano de US$ 100 mil. “Há os custos fixos de 10% de IPI e mais 18% de ICMS (no caso de São Paulo), seguro obrigatório para acidentes, translado, salário do piloto, tarifas com despachante e oficina. Em alguns casos, os custos de importação não compensam e fica mais barato comprar um já nacionalizado e usado por aqui”, diz.
O seguro do casco não é obrigatório e, normalmente, quem compra mono ou bimotores não faz, pois as seguradoras cobrem um período de até 25 anos após a fabricação.
tópicos: