terça-feira, 9 de dezembro de 2014

DEPRESSÃO FAZ PADRE MARCELO ROSSI PERDER 68 QUILOS.

O sacerdote abre seu refúgio paulista e revela como venceu a doença
As vitórias pessoais e profissionais do padre Marcelo Rossi (47) vêm sempre acompanhadas de cifras astronômicas: seu novo CD, O Tempo de Deus, lançado pela Sony, gravadora com a qual mantém contrato, vendeu 1 milhão de cópias um mês depois de lançado. Mas este trabalho, que se soma aos mais de 13 milhões vendidos em 20 anos de evangelização, também é fruto de uma história de superação.

Eleito pelo Vaticano evangelizador moderno, em 2010, o religioso venceu recentemente uma forte depressão, provocada por vários fatores, como a solidão, segundo ele próprio. Por estar mais magro — em 2009, quando na cadeira de rodas devido a fratura no pé, atingira 128kg e, dois meses atrás, pesava 60kg —, levantou suspeitas entre os fiéis de que tivesse alguma enfermidade grave. “Estou ótimo. Falaram que estava com câncer, diabetes e até aids. Mas tive depressão, da qual já estou curado, sem ter precisado de remédio ou ajuda médica. Deus quis que eu passasse por isso para levar às pessoas este ensinamento, de que todos podemos ter e que precisamos de ajuda para curá-la”, comenta, ao abrir para CARAS o seu refúgio no interior de SP, uma casa construída em um terreno da família, onde moram seus pais, mas que, no futuro, pode virar sua morada fixa, um lugar para descansar.

Pesando atualmente 85kg, o padre acha que está bem para sua altura, de 1,95m. Ele, que é formado em Educação Física, continua aficionado por exercícios, fazendo esteira diariamente e comendo chocolate e sorvete, suas paixões fora da apertada rotina de missas, bênçãos, visitas a hospitais, programas de rádio e TV. E ainda sobra tempo para compor as canções do novo CD e escrever mais um livro, que deve ser lançado em março de 2015, tudo para relatar sua experiência com a depressão.

IMAGEM DE SÃO FRANCISCO ARRASTA MULTIDÃO EM CANINDÉ-CE E CODÓ-MA.

Fiéis e organizadores do evento consideram a caminhada do último sábado a maior procissão católica do MA

reg
Os fiéis disputaram para ficar ao lado da imagem do Santo que foi a Codó
FOTO: ANTONIO CARLOS ALVES
Canindé (CE) / Codó (MA) Choro, fé, aclamação e devoção foram os sentimentos que moveram mais de 30 mil peregrinos vindos dos mais diversos pontos de cidades dos Estados do Maranhão, Piauí, Pará e Ceará na procissão da imagem peregrina de São Francisco das Chagas de Canindé pelas ruas de Codó, no Maranhão, no último sábado. A imagem saiu, pela primeira vez na sua história, para outro centro de peregrinação, desde sua chegada a Canindé em 1775.
A berlinda chegou ao Aeroporto Magalhães de Almeida, em Codó, às 18 horas, após 13 horas de viagem por terra, e foi recepcionada por autoridades religiosas e políticas de quatro Estados, depois de participar de uma carreata de 17 quilômetros, da entrada do município maranhense até o local da celebração da missa presidida pelo pároco e reitor do Santuário de Canindé. O ato religioso contou com a presença de mais seis padres e o guardião do Convento de Santo Antônio do Brasil, em Canindé, frei Jean de Sousa.
Durante o trajeto de 5,6 quilômetros percorridos a pé pelos devotos, a imagem peregrina de São Francisco das Chagas, que depois de 256 anos deixou Canindé para uma visita religiosa, recebeu homenagens de católicos que transformaram as ruas de Codó em um verdadeiro mar de gente, com fiéis rezando e cantando, com velas acesas dentro de pratos, em folhas de papelão ou na própria mão.

MINISTÉRIO DA SAÚDE CONFIRMA PRIMEIRO CASO DE FEBRE DO NILO NO PAÍS.


APÓS EXAMES
Agência Brasil | CBM

Caso foi confirmado em trabalhador do Piauí; Ministério diz que caso é isolado e que ainda não há risco de cadeia de transmissão

CULEX NILO
Fêmea da classe de mosquitos do tipo Culex, principal transmissor do vírus Oeste do Nilo
FOTO: DIVULGAÇÃO
Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira (9) o primeiro caso de febre do Nilo Ocidental no país. O paciente é umtrabalhador rural do Piauí, que já recebeu alta hospitalar. Segundo a pasta, o homem, que estava internado no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, em Teresina, deve passar por reabilitação e fisioterapia.
O caso estava em investigação desde agosto. Na época, o trabalhador rural apresentou encefalite e o caso foi notificado como suspeito. A doença foi confirmada após a realização de dois exames sorológicoscom reagente para o vírus do Nilo Ocidental-VNO (IH e ELISA).
De acordo com o ministério, o caso é isolado e ainda não foi identificada a cadeia de transmissão. A pasta informou que a confirmação da doença não representa risco para saúde pública do país.
Mais quatro pessoas apresentaram sintomas neurológicos considerados suspeitos, mas exames feitos em laboratório descartaram a possibilidade de elas estarem com a febre do Nilo. Além dos casos que apresentaram sintomas, foram feitos testes em mais 18 pessoas da região. Todos os resultados deram negativo, informou o ministério.

A CRISE DE 29.

Um retrato da Crise de 1929: investidor falido vendendo seu carro por apenas 100 dólares. 
Um retrato da Crise de 1929: investidor falido vendendo seu carro por apenas 100 dólares.
O fim da Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918) colocou os Estados Unidos em um novo panorama econômico. De maior devedora, a economia norte-americana se transformou na principal credora da economia mundial. Além disso, expandiu o seu parque industrial ao ponto de reter em suas mãos praticamente um terço de todos os produtos industrializados que percorriam o mundo. Mediante tanta prosperidade, vemos que imigrantes de todo o mundo buscavam viver o tal “american way of life”.
O momento de expansão e euforia acabou se refletindo no comportamento do mercado de ações daquele país. Cidadãos das mais variadas classes sociais sonhavam em ascender socialmente investindo grande parte de suas economias no setor de ações. Esperando que a economia sustentasse patamares de crescimento constantes, vemos que a população norte-americana parecia realmente viver um sonho, a ilusão de que seu país não mais reconhecia limites.

Acreditando piamente nos princípios do liberalismo clássico, os governantes norte-americanos não enxergavam a necessidade de interferir nessa incessante onda especulativa. Com o passar do tempo, a capacidade de consumo dos norte-americanos passou a ser superada pela enorme quantidade de mercadorias produzidas pelas indústrias. No entanto, a despeito dessa tendência, as bolsas de valores insuflavam a especulação financeira sobre empresas que só ampliavam suas vendas e mercados.

Contudo, já em 1928, o estouro dessa bolha financeira começou a se manifestar quando o preço das mercadorias acumuladas começou a despencar e as empresas se viram forçadas a reduzir seu quadro de funcionários. Já no ano seguinte, muitos investidores se desesperavam tentado realizar a venda de suas ações para outros possíveis investidores. No dia 24 de outubro daquele ano, uma avalanche de ofertas e a ausência de compradores sentenciaram a quebra da Bolsa de Nova York.

COM REBAIXAMENTO DE DOIS CAMPEÕES BRASILEIROS,SÉRIE B PROMETE BRIGA ACIRRADA PARA O CEARÁ.. EM 2015.

GIULIANO GOMES/AFP, EDUARDO MARTINS/FOLHAPRESS
Bahia caiu para a Segundona. Time enfrentará arquirrival na Série B e Vitória foi outro clube baiano a ser empurrado para a Segundona
Se o Ceará achou que 2014 não foi um ano fácil, é melhor não esperar moleza em 2015 na luta pelo acesso à Série A do Brasileiro.

O encerramento do Brasileirão, neste domingo, empurrou para o segundo escalão do futebol nacional dois campeões brasileiros: Botafogo-RJ, que caiu na penúltima rodada, e Bahia, deposto ontem.

Além do tricolor baiano, o Vovô terá de medir forças com outro concorrente de peso do Nordeste: o Vitória. Após perder em casa para o Santos por 1 a 0, o arquirrival do Bahia caiu ontem.

Presidente do Alvinegro, Evandro Leitão diz não temer a concorrência de Botafogo, Bahia e Vitória: “Teoricamente, torna mais difícil (a briga pela subida à Série A). Antes de mais nada, temos que fazer nossa parte. Formar uma boa equipe para atingir nossos objetivos, independentemente dos adversários”. Para o dirigente, os clubes que disputaram a Série B em 2014 “também eram grandes, como a Ponte Preta-SP (vice-campeã) e o Joinville (campeão), que há três anos vinha batendo na trave”.

DOM JOSÉ TUPINAMBÁ DA FROTA NA HISTÓRIA DE SOBRAL-CE.

Há cerca de 100 anos, Dom José Tupinambá da Frota era elevado à posição de Bispo de Sobral, aliás o primeiro bispo do incipiente principado. À época, Sobral vivia o apogeu tanto a nível eclesiástico, político e econômico (um tio de Dom José-Dom Jerônimo Thomé da Silva- era Arcebispo Primaz do Brasil, Sobral contava com nomes de destaque estadual e nacional; engenheiro João Thomé de Saboia e Silva/Chico Monte…). Um apogeu levado no trem da história como locomotiva da estrada de ferro de Sobral (Camocim-Sobral/Sobral-Ipú) e do Porto de Camocim.
Rio de Janeiro, 1877. Vossa Majestade Imperial Dom Pedro II manda construir no Ceará a estrada de ferro de Sobral a pedido do Senador da Província, o sobralense Ernesto Viriato de Medeiros, como forma de, ao empregar parte dos flagelados da severa seca que se abatera nesse ano, amenizaria seus efeitos junto à população dessa parte do estado, diga-se Zona Norte. Concessão essa que caira no colo da poderosa Família Saboya,tendo como arrendatários por mais de uma década a partir de 1882; Engenheiro João Thomé de Saboia e Silva e Dr. Vicente Saboya de Albuquerque, com a Firma Saboya Albuquerque & Cia Ltda. O Porto de Camocim era praticamente um porto privado de Sobral (o Porto do Mucuripe com a estrutura que conhecemos hoje só viria a ser inaugurado em 1951),

ESTUDANTES QUE FALTARAM AO ENADE PODERÃO RECEBER O DIPLOMA.

Os universitários que terminam o curso neste ano, mas não fizeram a prova do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2014, aplicada no dia 23 de novembro, poderão justificar a ausência, para obter o diploma.

O pedido deve ser apresentado na instituição de educação superior na qual o estudante está matriculado. As regras para o pedido foram publicadas na edição desta quinta-feira, 4, do Diário Oficial da União.

O Enade é aplicado em todo o país aos estudantes do último ano de graduação. Os estudantes só recebem o diploma depois de fazer o Enade. Não existe um desempenho mínimo obrigatório dos alunos, porque o resultado serve apenas para compor índices que medem a qualidade dos cursos e das instituições de ensino superior.