quarta-feira, 23 de setembro de 2015

CFM SUSPENDE IDADE LIMITE PARA MULHERES USAREM TÉCNICAS DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA.

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil
partos
Mulheres com mais de 50 anos que desejam ser mãe poderão usar técnicas de reprodução assistidaArquivo/Agência Brasil
Mulheres com mais de 50 anos que queiram engravidar vão poder utilizar técnicas de reprodução assistida, desde que assumam os riscos do procedimento. A decisão faz parte de resolução divulgada hoje (22) pelo Conselho Federal de Medicinal (CFM) que atualiza as regras para reprodução assistida no Brasil.
O coordenador da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia do CFM, José Hiran, ressaltou que a entidade continua defendendo o limite máximo de 50 anos para a mulher passar por esse tipo de procedimento. Isso porque, segundo ele, há graves riscos tanto para a mãe, como hipertensão e diabetes gestacional, quanto para o feto, como prematuridade. “Cada caso deverá ser analisado pelo profissional que toma conta do procedimento”,

'SÓ O FIM DE PRIVILÉGIOS E SUPER-PENSÕES PODE EQUILIBRAR CONTAS PÚBLICAS',DIZ ANALISTA.

Ruth Costas

Agência do INSS (Ag Brasil)Image copyrightAg Brasil
Image captionDéficit da Previdência relativo aos servidores públicos e militares aposentados somaria R$ 61 bilhões – quase duas vezes o que o governo pretende arrecadar com a CPMF; acima, agência do INSS
Se você trabalhar em uma empresa privada, ao se aposentar receberá, no máximo, R$ 4.663 pelo INSS. Já se for funcionário público, dependendo da data em que foi contratado e da carreira que seguiu, ainda pode receber aposentadoria integral até um teto de cerca de R$ 33 mil (o salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal).
Caso também seja viúvo ou viúva de outro servidor bem remunerado, é possível que receba, somando a aposentadoria a pensão por morte a que tem direito, um total de mais de R$ 40 mil todo mês, bancados pelos cofres públicos.
"Não há justificativa para essa diferença entre as condições de aposentadoria do setor privado e do setor público. Trata-se de um exemplo dos privilégios que precisam ser revistos para que o país consiga controlar suas contas públicas", defende, em entrevista à BBC Brasil, o jornalista e economista britânico Brian Nicholson, autor de A Previdência Injusta: Como o fim dos privilégios pode mudar o Brasil (Geração Editorial).
Nicholson diz considerar "privilégio" um "benefício subsidiado pelo dinheiro público" e concedido a classes relativamente abastadas. Outros exemplos, na sua opinião, seriam as aposentadorias precoces do INSS - na faixa dos 40 ou 50 anos –, também os proventos de políticos, juízes e militares e os benefícios de alguns anistiados políticos e ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial e seus dependentes.

BIG JATO FOI O GRANDE VENCEDOR DO 48º- FESTIVAL DE CINEMA DE BRASÍLIA-DF.

Aline Leal - Repórter da Agência Brasl
Big Jato, de Cláudio Assis, recebeu o prêmio de melhor Filme, na cerimônia de premiação do 48 Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Big Jato, de Cláudio Assis, recebeu o prêmio de melhor Filme, na cerimônia de premiação do 48º Festival de Brasília do Cinema BrasileiroFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O filme Big Jato, de Cláudio Assis, foi um grande vencedor 48º Festival de Cinema de Brasília do Cinema Brasileiro. Ele ganhou quatro das cinco principais categorias: o Troféu Candango de melhor filme, conquistou os prêmios de melhor ator, Matheus Nachtergaele, e nelhor atriz, Marcélia Cartaxo. O longa levou ainda os troféus de melhor roteiro e trilha sonora.
O prêmio especial do juri foi para o longa Fome, de Cristiano Burlan, que venceu também na categoria de melhor som. O Prêmio Candango de melhor montagem ficou com Para minha Amada Morta, de Aly Muritiba. O filme venceu ainda na categoria de melhor direção, direção de arte e de fotografia e conquistou os prêmios de atriz e ator coadjuvante, pelos trabalhos de Giuly Blancato e de Lourinelson Vladmir  O vencedor do juri popular foi  A Família Dionti, dirigido por Alan Minas.

CAIXA APLICA NOVA ALTA DE JUROS PARA FINANCIAR CASA PRÓPRIA;É A 3ª- NO ANO.

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta segunda-feira (21) mais uma alta nos juros para financiar a casa própria. É a terceira vez somente neste ano.
As novas taxas valem somente para novos contratos, ou seja, os financiamentos que já estão em andamento não sofrerão reajuste. Os juros não mudam para imóveis financiados pelo programa "Minha Casa, Minha Vida" ou aqueles que usam recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).
Veja abaixo como ficam as taxas.
Sistema Financeiro da Habitação
O Sistema Financeiro Habitacional (SFH) regula a maioria dos financiamentos imobiliários no Brasil. Para se enquadrar neste sistema, o imóvel deve custar, no máximo, R$ 750 mil em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Nos outros Estados, o limite máximo do imóvel é de R$ 650 mil.

Para quem não é cliente do banco: passa de 9,45% para 9,9%;
Para quem tem conta no banco: era entre 8,8% a 9,3%; sobe para entre 9,3% e 9,8%;
Para servidores públicos: era entre 8,8% a 9,3%; sobe para entre 9,3% e 9,8%.

FAMÍLIA DE CAIO BUSCA DOADORES DE SANGUE O+ PARA GARANTIR TRATAMENTO.

O pequeno Caio Rodrigues passa por mais uma etapa no tratamento contra a leucemia. De volta a Teresina após participar de uma pesquisa nos Estados Unidos para tentar a cura da doença, a família de Caio esclarece que ele está bem e faz uma lista de doares de sangue O+ para que ele possa manter a quimioterapia de manutenção. 
Lara Rodrigues, mãe do garoto, publicou em seu perfil no Facebook que ele está bem, não está hospitalizado, mas devido à quimioterapia de manutenção, precisa de transfusões de sangue programadas. 
"Ele está feliz demais em poder estar em casa. Transfusão de sangue e plaquetas faz parte do tratamento da leucemia, mas é algo programado e não de urgência. O sangue que ele precisa é O+", informou.